Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2009 / Abril / Ação de Cidadania para limpar a Billings

Ação de Cidadania para limpar a Billings

30/04/2009

30/04/2009 17h54 - última modificação 04/05/2009 12h08

A edição anterior do "Dia Mais Cidadania" realizou cerca de 4 mil atendimentos (Foto: Mariana Espósito/RRJ)

Carolina Garcia 
Luciane Mediato
do Rudge Ramos Jornal

A terceira edição do “Dia Mais Cidadania” será  realizada no sábado (16), em edição especial, com o tema “A Billings vive com você”. Os serviços  oferecidos à comunidade serão de orientação educacional e cuidados ambientais em relação à água.

Os alunos que quiserem participar voluntariamente devem fazer  a inscrição na coordenação do seu curso ou via formulário. Haverá treinamentos com orientações para ação nos  dias : 12/05 (Campus Planalto); 13/05 (Campus Vergueiro) e 14/05 (Campus Rudge Ramos), com dois horários opcionais, às 9 e às 20h.

Segundo o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade Metodista, Paulo Bessa, a ação principal consistirá no recolhimento de resíduos sólidos recicláveis às margens da represa Billings, no bairro do Riacho Grande, em São Bernardo.

“Esses resíduos serão ensacados e encaminhados a cooperativas de reciclagem. Haverá também distribuição de material educativo com vistas a um maior cuidado com a natureza, especialmente no que toca à preservação da qualidade da água, bem imprescindível à vida. Esperamos ter mil pessoas trabalhando em dois turnos: manhã e tarde”, explicou Bessa.

O evento será em torno da represa Billings. Ao todo, sairão ônibus do campus Rudge Ramos, da Universidade Metodista. “O nosso objetivo é que às 7h30 sai ônibus para levar ao todo 500 pessoas para o local e outro com o mesmo número, às 11h. A coleta de lixo propriamente dita deve acontecer entre 9h e 16h. Isto é, nenhuma equipe trabalhará mais do que três horas. Queremos conscientizar a comunidade dos benefícios oferecidos pela natureza”, disse o pró-reitor.

De acordo com ecologista, Virgílio Alcides de Farias, presidente do MDV (Movimento em Defesa da Vida do Grande ABC), hoje o reservatório é recarregado pelos esgotos das cidades e bairros do seu entorno, agravado pelo bombeamento das águas poluídas do sistema Pinheiros/Tietê.

“Temos a Lei Específica da Billings que pode melhor a situação da represa. No entanto a atual legislação de uso do solo nos mananciais da Grande São Paulo, prevê que não haja ocupação em áreas que são próximas às margens da represa. Assim entra em conflito com o projeto de lei”, afirmou Farias.

Para o ecologista a proposta de lei da Billings determina a ocupação de lotes a partir de 250 metros quadrado, além de propor urbanização, com lotes maiores, nas áreas ainda preservadas. O projeto não considera o estado crítico do reservatório.

“Acredito que a lei poderia ser modificada em alguns pontos, manter as áreas ainda preservadas e estimular a recuperação de áreas de floresta e degradadas. Muitas propostas foram apresentadas e defendidas para serem incorporadas ao texto da Lei
Específica da Billings. As mais importantes foram rejeitadas, como a não expansão urbana nas áreas de mananciais ainda preservadas”, explicou Farias.

Para o deputado estadual da Frente Parlamentar da Billings, Alex Manente (PPS), a lei foi bem estudada e debatida em várias esferas sociais e econômicas. “As modificações que foram apontadas nas discussões foram realizadas. O projeto visa melhorar a fiscalização nas áreas de preservação e diminuir a poluição”, disse.

Segundo o deputado, ainda ocorrerão mais três audiências públicas: na zona sul, no ABC e na própria Assembleia Legislativa de São Paulo. “Precisamos ouvir a população que mora em torno da represa para sabermos quais são reais necessidades”.

O ecologista Virgílio explica que enquanto a população e atividades econômicas crescem, aumenta a necessidade por mais água. “Para sustentar essa política irracional e insustentável, a população é penalizada ao ser obrigada a beber esgoto tratado”.

A universidade conta principalmente com a participação de alunos. As inscrições devem ser feitas via formulário, disponível no Portal da Metodista. Todos os voluntários receberão capacitação para o trabalho, na semana de 11 a 15 de maio, a fim de que o evento seja feito com segurança para todas as pessoas envolvidas.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , ,
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático