Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2008 / Maio / Metodista antecipa Dia Mundial Sem Tabaco

Metodista antecipa Dia Mundial Sem Tabaco

29/05/2008

30/05/2008 17h23

Na última terça-feira (27/05), o Governo Brasileiro anunciou o lançamento das novas fotos que irão ilustrar os malefícios do hábito nos maços de cigarro. Essa é mais uma das campanha lançadas internacionalmente durante essa semana em comemoração ao Dia Mundial Sem Tabaco, em 31 de maio. A Universidade Metodista de São Paulo não só apóia a causa como antecipou a conscientização contra o fumo.

Em Março, a Metodista lançou uma campanha interna contra o hábito de fumar em locais fechados, como corredores, salas de aula, Centro de Convivência e outros locais onde a influência e o comprometimento da saúde de outras pessoas pelo cigarro é mais evidente.

Durante a ação, que durará até meados de novembro, serão distribuídos cartazes, banners, papéis de bandeja (nos refeitórios), adesivos, e-mail marketing  nos três Campi da Metodista (Rudge Ramos, Vergueiro e Planalto). O projeto foi desenvolvido pela Agência de Comunicação e Marketing (AGC&M) e pela Diretoria de Comunicação (Dicom).

A campanha foi organizada em duas etapas. Na primeira fase, o mote da campanha era “Certas Coisas não Combinam”. A segunda fase, que ainda está em desenvolvimento, começa em agosto e tem previsão de término no final de novembro.

A luta contra o cigarro
Desde 2002, quando entrou em vigor uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinando que todos os produtos fumígenos derivados do tabaco tivessem, na embalagem e na propaganda, advertência sobre os malefícios causados, a luta contra o tabagismo tem se intensificado.

No Brasil, além das fotos e frases nos pacotes do produto, várias atitudes estão sendo tomadas. Desde o dia 2 de janeiro, por exemplo, nenhum funcionário do Metrô paulista pode fumar nas instalações, mesmo ao ar livre. No final do ano passado, vereadores de São Paulo aprovaram lei proibindo fumar na direção do carro.

Em outros países, as medidas também tem sido drásticas. Irlanda, Grã-Bretanha e Itália introduziram lei que proíbe o fumo em escritórios, bares e restaurantes. Na entrada de 2008, passaram a vigorar regulamentos semelhantes na França e na Alemanha.

Origem e malefícios
O hábito de fumar tabaco veio dos povos indígenas do Continente Americano, que acreditavam que a inalação da fumaça da planta tinha a capacidade de curar problemas de saúde e também a utilizavam em rituais.

Ele foi incorporado à civilização ocidental após Cristóvão Colombo, em seu primeiro contato com os índios da América, ter recebido as folhas de tabaco juntamente com outros presentes oferecidas pelos nativos ao navegador.

Segundo o Ministério da Saúde, o consumo de cigarro e outros derivados do tabaco podem originar cerca de 50 tipos de doenças, principalmente as cardiovasculares (como o infarto), respiratórias (enfisema, por exemplo) e vários tipos de câncer.

Impotência sexual, complicações na gravidez, aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias e trombose vascular são outras complicações às quais os fumantes estão expostos (veja o quadro para conferir mais dados).

Como parar de fumar
Para ajudar quem quer largar esse vício, o governo federal disponibiliza, gratuitamente, o Disque Saúde (0800-61-1997). Pela internet, existe o site do Instituto Nacional do Câncer (www.inca.gov.br/tabagismo), que oferece, dados e dicas aos fumantes.

Outro site que se propõe a ajudar os fumantes é www.fumantesanonimos.org, que realiza reuniões em que pessoas que querem se livrar do fumo podem se apoiar, em formato semelhante ao realizado pelos alcoólicos anônimos, por exemplo.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , ,
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático
Portlet de conteudo estático