Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Marketing / Notícias / Alunos da Metodista participam de campanha sobre consumo consciente de moda

Alunos da Metodista participam de campanha sobre consumo consciente de moda

Cursos do campus Vergueiro se engajaram no Fashion Revolution

25/04/2019 18h40 - última modificação 25/04/2019 20h45

Alunos foram incentivados a postar fotos com a hashtag #fashionrevolution

Fabricar uma única calça jeans exige nada menos que 10 mil litros de água. Sem falar no consumo de energia elétrica, no descarte quase total para a lata do lixo e, pior, nas confecções que usam mão-de-obra análoga à escravidão e até infantil.

Para conscientizar sobre os impactos sociais e ambientais do setor, a Universidade Metodista de São Paulo aderiu este ano à Semana Fashion Revolution, movimento criado por profissionais da moda após o desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh, em 2013, quando morreram 1.134 trabalhadores da indústria de confecção e deixou mais de 2.500 feridos, a maioria atuando em condições sub-humanas.

A tragédia aconteceu no dia 24 de abril e foi lembrada por cursos do campus Vergueiro por meio de rodas de conversa, palestras e ações alternativas de consumo como a Feira de Trocas. “Como profissionais, seremos chamados a tomar decisões. Precisamos ter olhares críticos como sociedade e defender uma indústria da moda mais justa e transparente”, falou professora Luciane Duarte, coordenadora do curso de Marketing.

#quemfezminhasroupas

As atividades da programação ‘Como Ser Um Revolucionário’ se estenderam pelos dias 23, 24 e 25 de abril e buscaram inspirar os alunos para a transformação positiva da moda. “Não é para deixar de consumir, mas comprar de forma responsável. Quantas roupas temos no armário sem usar, ainda com etiquetas, compradas por mero impulso?”, perguntou professora Renata Eisinger, dos cursos de Gestão de RH e Processos Gerenciais.

Além de documentários e bate-papos, o evento contou com palestras de reflexão sobre formas de fomentar a sustentabilidade e responsabilidade social na indústria da moda, com trabalho justo e descente. Falaram Aline Zuffo Boaratti, idealizadora da marca Manlaya, que atua com moda sustentável; Melody Von Erlea, consultora de estilo e dona do blog Repete Roupa!, onde discorre sobre feminismo, minimalismo, moda e cultura pop; além de Tamyres Leite, criadora do projeto Com Que Roupa Eu Vou, que tem como objetivo informar sobre moda sustentável e consumo consciente.

Estima-se que a produção de roupa vá dobrar em 10 anos. Só no Brasil, em 2018, foram consumidas 1,84 milhão de toneladas de tecidos, que geraram 6,05 milhões de peças.

A Metodista foi uma das 80 Instituições de Ensino Superior brasileiras que aderiram neste ano à campanha, realizada em mais de 100 países. As redes sociais deram grande impulso ao movimento, incentivando consumidores a postar fotos usando peças, marcando as hashtags #fashionrevolution ou #fashionrevolutionbrasil e questionando #quemfezminhasroupas. No ano passado, mais de 3.500 marcas responderam ao questionamento com a hashtag “Eu fiz suas roupas”.

 

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , ,
COORDENADORA

LUCIANE DUARTE DA SILVA

Minicurrículo

 

 

Receba informações de oferecimento deste curso

Receba informações de oferecimento sobre esse curso:

X