Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Letras / Notícias / Congresso Mundial de Tradução Especializada 2008

Congresso Mundial de Tradução Especializada 2008

09/02/2009 17h52 - última modificação 09/02/2009 17h56

Línguas e diálogo intercultural em um mundo em globalização
Havana (Cuba), de 8 a 13 de dezembro de 2008

O Congresso Mundial de Tradução Especializada, organizado pela União Latina e pela Rede Maaya, a Rede Mundial para a Diversidade Lingüística, no quadro da celebração do Ano Internacional dos idiomas decretado pelas Nações Unidas, foi realizado em Havana (Cuba) de 8 a 13 de dezembro de 2008 com o apoio da UNESCO, da Federação Internacional de Tradutores, do Governo da República de Cuba e de numerosas entidades nacionais e internacionais.

Fizeram parte do Comitê de Honra deste congresso o Prêmio Nobel de Literatura 1998, José Saramago, bem como os lingüistas Bernard Cerquiglini e Jean-Claude Corbeil. Por outro lado, a Equipe de Serviços de Tradutores e Intérpretes de Cuba (ESTI), a Associação Cubana de Tradutores e Intérpretes de Cuba (ACTI) e o Comitê de Tradutores, Terminólogos e Intérpretes do Canadá (CTTIC) colaboraram, entre outros, na organização do evento, que reuniu profissionais da tradução e das línguas tendo como objetivo a valoração do trabalho do tradutor especializado na promoção e no reforço da diversidade lingüística mundial.

Nesse Congresso foram apresentadas por volta de sessenta comunicações de alto nível e os seus 300 participantes reafirmaram através da chamada Recomendação de Havana, a vontade de ver reforçado o multilingüismo na governança internacional e desta maneira convidar os Estados e Organismos Internacionais a renovar a Recomendação de Nairobi. Esta ultima, aprovada em 1976, reafirmava os direitos do tradutor, contudo depois das mudanças estruturais que sofreu em matéria de comunicação internacional, deve ser revista e atualizada.

A Recomendação de Havana também instou os atores a utilizar a tradução como instrumento maior da comunicação entre indivíduos que falam línguas diferentes e desta maneira evitar a hegemonia de uma língua franca universal criadora de desigualdades, preferindo em seu lugar um diálogo em igualdade de condições que só podem oferecer a tradução, a intercompreensão ou o ensino multilíngüe.

Os participantes de cerca de 40 países dos cinco continentes puderam expressar-se em cinco línguas diferentes: inglês, francês, espanhol, português e russo, e junto deles estiveram presentes alguns dirigentes da Federação Internacional de Tradutores (FIT), do Governo Cubano, de diferentes Academias, de organismos internacionais como a UNESCO, a OMPI, a União Latina, a OMS e diversas associações internacionais, projetos lingüísticos, professores universitários, investigadores e outros.

Mais informação em: http://dtil.unilat.org/cmte2008.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:
COORDENADOR

SILVIO PEREIRA 

Minicurrículo

 


Receba informações de oferecimento deste curso