Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Jornalismo / Notícias / Volta à Metodista para lançamento de livro emociona ex-alunos de Jornalismo

Volta à Metodista para lançamento de livro emociona ex-alunos de Jornalismo

TCC de 2011 sobre Clementina de Jesus tornou-se o livro mais completo da cantora negra até agora

23/03/2017 18h40 - última modificação 23/03/2017 18h46

Foi um caso de amor correspondido. Quando Janaína Marquesini, Luana Costa, Raquel Munhoz e Felipe Castro se viram diante da necessidade de produzir o TCC de Jornalismo em 2011 – eles que sequer eram amigos na classe --, o tema do trabalho foi o imã que os aproximou imediatamente. Música popular, cultura afro-brasileira, escalada social de uma neta de escravos num Brasil com cicatrizes raciais profundas, tudo parecia palpitante e atraente para um Trabalho de Conclusão de Curso na Universidade Metodista de São Paulo. O que não sabiam é que a personagem da pesquisa, a cantora negra de voz grave e rouca Clementina de Jesus, se transformaria em uma obra literária já aclamada com prêmios.

“Voltar à Metodista, onde tudo começou, é emocionante. Estou muito feliz de compartilhar esse momento com alunos da universidade depois de percorrer vários locais do Brasil para lançar e falar do livro”, afirmou Raquel Munhoz, que ao lado dos três co-autores participou na Metodista do lançamento de “Quelé — A voz da cor: Biografia de Clementina de Jesus” (Editora Civilização Brasileira), na noite de 22 de março último.

JornalismoLivroQuel2MAR2017.jpg
Em noite de autógrafos, ex-alunos contaram a trajetória do TCC até o tema tornar-se livro
 
JornalismoLivroQuelMAR2017.jpg
Vídeo apresentou a cantora aos atuais alunos
Além de nota 10 do TCC, o livro rendeu ao quarteto honrarias como Destaque da Metodista e duas premiações da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação. “Não havia nada no mercado a não ser duas breves biografias, sem o conteúdo de profundidade que desenvolvemos. Como a Metodista sempre instiga os alunos a inovar, a ir além, fomos lá no começo investigar as raízes da cantora e a trajetória de vida mesclando com a história do samba”, afirmou Luana Costa, também emocionada diante de um Anfiteatro Sigma lotado com alunos de Comunicação.

 

Foram seis anos de pesquisas entre a formatação do TCC e a transformação do livro em realidade. O anfitrião do evento e coordenador do Núcleo de Formação Cidadã, Oswaldo de Oliveira Santos Júnior, se disse privilegiado por ter sido um dos primeiros a ler o texto, quando integrou a banca de avaliação trabalho. “É uma alegria ver que a Metodista participou da construção dessa obra”, afirmou.

Mesmo vivendo em um período da história em que sequer tinham nascido, Clementina de Jesus atraiu os alunos de Jornalismo pela importância que teve na cultura negra, ela que só foi descoberta artisticamente aos 64 anos de idade após trabalhar como empregada doméstica e quituteira. “Não foi por acaso que o produtor Hermínio de Carvalho a escolheu para espetáculos musicais e pelas passagens em escolas como Portela e Mangueira que a fariam conviver com mestres como Noel Rosa, Cartola, Paulinho da Viola e Nelson Cavaquinho”, conta Felipe Castro.

A noite de autógrafos na Metodista foi aberta com um documentário alemão em vídeo, seguido da exposição dos ex-alunos sobre o período de pesquisa e elaboração do livro e participação da plateia.

Quelé – A voz da cor: Biografia de Clementina de Jesus 

Felipe Castro, Janaína Marquesini, Luana Costa e Raquel Munhoz

Páginas: 384

Preço: R$ 49,90
Editora: Civilização Brasileira | Grupo Editorial Record

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , ,

RODOLFO MARTINO - COORDENADOR
rodolfo martino
Veja o Minicurrículo

 


 

jornalismo.jpg

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: