Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Jornalismo / Notícias / Formandas de Jornalismo criaram agência especializada em políticas públicas para mulheres

Formandas de Jornalismo criaram agência especializada em políticas públicas para mulheres

Projeto desenvolve comunicação humanizada visando empoderamento

03/03/2017 15h55 - última modificação 06/03/2017 18h31

Conteúdo da agência visa informar a respeito de políticas públicas

Conscientizar a respeito do que são políticas públicas voltadas à equidade de gênero é o objetivo de Júlia Arneiro, 22, Nathalia Torquato, 21, e Vitória Rocha, 22. Formadas em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo em dezembro de 2016, as profissionais criaram e desenvolveram a Agência Vênus como seu trabalho de conclusão de curso.

“Nossa proposta principal é falar de políticas públicas de gênero e raça para mulheres da periferia, com uma linguagem multimídia - texto, vídeo, áudio, fotos e infográfico - facilitando a compreensão de nossas leitoras”, explica Vitória.

A princípio, a Vênus atua apenas na região do ABC e visa ser referência no assunto para gestores públicos e outras mídias das sete cidades. Esse material é disponibilizado no site e nas redes sociais da Agência, apresentando estatísticas, informações sobre programas sociais e contando a história de mulheres beneficiadas por algum tipo de política pública.

Escolha do tema

“Já havíamos decidido que queríamos falar sobre o feminino, sobre a mulher, e que queríamos abordar um assunto que tivesse bastante relevância social”, conta o grupo. Assim, durante conversas sobre o desenvolvimento do TCC, a professora Eloiza Frederico sugeriu a ideia da agência e o grupo tomou a decisão na mesma hora. “Sabíamos que teríamos muito trabalho, mas foi amor à primeira vista”, completam.

Para que o projeto seja viável, a Vênus foi idealizada para funcionar majoritariamente por meio de financiamento coletivo, sendo que as reportagens podem ser publicadas por outros veículos de mídia, dando os devidos créditos à Agência.

“Nosso projeto foi algo inédito na área. Podemos nos orgulhar em dizer que a Agência Vênus é pioneira nesse sentido no Brasil e nosso projeto vem da necessidade de os gestores públicos olharem com carinho e atenção para as particularidades de um grupo social marginalizado no Brasil, as mulheres e as mulheres negras e pobres”, declara Nathalia.

agencia_venusAssim, a Agência busca informar para empoderar, criando consciência de seus direitos, essas mulheres podem buscar o poder público para atender suas necessidades. As jornalistas pretendem dar continuidade ao projeto, agora fora da Universidade, e expandir sua atuação para São Paulo também.

Desenvolvimento do TCC

Os trabalhos de conclusão de curso visam a concepção, planejamento e execução de um Projeto Experimental e reflexão sobre as práticas jornalísticas. Por meio da Agência Vênus, as ex-alunas tiveram a oportunidade de desenvolver uma visão diferente sobre a profissão e direitos da mulher. “A Vênus despertou nosso lado mais humano, mais mulher. Hoje, ao exercer a profissão, conseguimos nos colocar mais no lugar do outro e fazer um trabalho que realmente faz a diferença na sociedade”, conta Júlia.

Como acontece com qualquer projeto de profundidade, o processo foi cansativo, mas muito gratificante, segundo as profissionais. “Tivemos uma ótima orientadora, a professora Marli dos Santos, então, traçar o caminho foi fácil. Tivemos muitos contratempos com relação ao aperto das datas e a grande produção de conteúdo, mas ficamos bastante realizadas quando vimos a Agência pronta até mesmo antes do fim do cronograma. É algo para se orgulhar”, relatam.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , ,

RODOLFO MARTINO - COORDENADOR
rodolfo martino
Veja o Minicurrículo

 


 

jornalismo.jpg

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: