Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Prof. João Batista Ribeiro recebe Menção Honrosa do Prêmio Capes 2019

Prof. João Batista Ribeiro recebe Menção Honrosa do Prêmio Capes 2019

Docente da Faculdade de Teologia é premiado na área de Ciências da Religião e Teologia.

17/09/2019 19h45 - última modificação 18/09/2019 12h33

As teses premiadas na 14ª edição do Prêmio Capes de Tese 2019 foram divulgadas em 06 de setembro, quando o Professor Doutor João Batismo Ribeiro, docente da Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, foi premiado com Menção Honrosa na área de Ciências da Religião e Teologia.

Com sua tese de doutorado, sobre o título: DOS CONFLITOS COM ’ĀRĀM AO DEUS DE ḪA-LA-AB: A Formação do Campo Religioso e a Elaboração do Yhwh no Yiśrā’ēl Norte na Idade do Ferro II (Dos conflitos com Aram ao deus de Aleppo: A formação do campo religioso e a elaboração do Yahweh no Israel Norte na Idade do Ferro II)o professor recebeu destaque entre os 93 inscritos que receberam menção honrosa. Na edição deste ano do prêmio foram inscritas 1140 teses para as 49 áreas de avaliação.

WhatsAppImage20190918at09.29.22.jpeg
FaTeo celebra o prêmio com momento de gratidão à vida do Prof. João Batista durante o culto semanal.

O Prof. João Batista compartilhou como se sente com a premiação: “Em 14 anos de instituição do prêmio, eu sou o quarto doutor pelo PPGCdR e o primeiro docente da Faculdade de Teologia cuja tese é premiada. A 'Menção Honrosa' indica que houve um debate para a decisão do primeiro lugar, nesse sentido me surpreendeu. Por dois motivos: o período, as fontes são dos séculos IX e VIII a.C., e a complexidade dos relevos e linguagens dos acontecimentos, estão em sumério, acádio, hebraico, aramita e moabita. Feliz porque esse trabalho técnico ao extrapolar as ciências da religião e a teologia, abre um campo de pesquisa histórica sobre povos aramitas e integra ao PPGCdR a antropologia arqueológica e a literatura mesopotâmia”.

Ele relata que estudar os processos civilizatórios o motiva e relembra sua trajetória de pesquisa em seus dois mestrados até a tese de doutorado que foi premiada.  

“Foram tema tanto do meu mestrado em Ciências da Religião (Umesp) quanto do meu mestrado em História Política (UERJ). No doutoramento, evidenciar que a formação da religião e o culto ao deus do antigo Israel não foram alcançados em suas origens pelos escribas judaítas do Primeiro Testamento. Além disso, a pesquisa apresentaria a historiografia e tradução de dois importantes monumentos: um assírio (Obelisco Negro) e um moabita (estela do rei Mesha). ”

 

Tema da tese:

O tema inicial da tese de doutorado elaborada pelo Prof. João e seu orientador Prof. José Ademar Kaefer visava pesquisar “a influência de Damasco no campo religioso de Israel Norte”, baseado em duas fontes – a camada redacional de 2Reis 9–10 (hebraica) e a assim chamada estela de Tel Dan (aramita). Como Damasco tornou-se um polo importante documentalmente só a partir de 855 a.C., logo descobriu que houve interações culturais envolvendo cidades aramitas que mantinham contato com povos mesopotâmios desde o segundo milênio a.C. No final de 2017, ao encontrar pesquisas de arqueólogos de língua alemã, em inglês, sobre a cidade de Aleppo, seu deus e suas culturas a tese ganhou nova hipótese científica.

Tendo catalogado uma bibliografia contendo 38 páginas e cerca de 400 obras, é desconhecida uma monografia na qual o autor tenha demonstrado que a elaboração do campo religioso e da divindade israelita Yahweh tenha evidências estética, afixação local e função guerreira originadas no deus Haddu da cidade aramita de Aleppo, tornando a tese inédita.

Conheça o Prêmio Capes:

O Prêmio CAPES de Tese foi instituído pelo Ministério da Educação e está em sua 14ª edição, premia as melhores teses de doutorado defendida no ano anterior ao evento anual.

Há uma seleção realizada pelos programas de pós-graduação com as teses defendidas em suas universidades, uma pré-seleção pela CAPES das teses inscritas, e, por fim, a seleção das melhores. Neste ano de 2019 foram contempladas 49 áreas de avaliação e inscritas 1140 teses.  O documento trouxe os escolhidos em cada uma das 49 áreas de avaliação e mais 93 trabalhos que receberam menções honrosas, ou seja, pouco mais de 12% do total de inscritos. 

 

 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: ,

Receba informações de oferecimento sobre esse curso:

X