Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Tema "Mulheres na Mídia" registra poucos avanços

Tema "Mulheres na Mídia" registra poucos avanços

13/12/2013 11h05 - última modificação 13/12/2013 11h28



BANGKOK - Das recomendações contidas na Declaração e Plataforma de Ação da Conferência Mundial sobre a Mulher, aprovada em 1995, no encontro organizado pela ONU em Pequim, o item "J", que trata da mulher e os meios de difusão foi o que menos avanços registrou nos últimos 18 anos.


ALC/12 de dezembro de 2013

A conclusão é do Fórum Global sobre Gênero e Mídia, coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), reunido em Bangkok de 2 a 4 de dezembro.

A desigualdade de gênero e a discriminação em imagens de mulheres em e através dos meios de comunicação é uma realidade visível e crescente. Não há registro de avanços de legislações e propostas que procurem erradicar a violência de gênero nos meios de massa.

O capítulo “J” diz que é necessário aumentar o acesso das mulheres e sua participação nos meios de difusão e no uso das novas tecnologias de comunicação, bem como fomentar uma imagem equilibrada e não estereotipada da população feminina nas matérias trabalhadas pelo jornalismo.

Relatório da Unesco aponta que apenas 13% das reportagens divulgadas na imprensa, no rádio e na televisão, estavam focadas em mulheres, enquanto 46% das matérias reforçavam os estereótipos de gênero.

A ONU recomenda que cada país trate de incentivar a perspectiva de gênero nos meios de comunicação, tanto no setor público, estatal, como no comunitário e privado. Também as escolas de jornalismo devem incluir nos seus currículos a segurança das repórteres, a violência de gênero e a leitura de marcos jurídicos e regulatório sobre os direitos femininos.

A editora de espanhol da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), Claudia Florentin, analisou o papel da imprensa na apuração do comércio de mulheres durante o painel "Cobertura sobre Temas de Violência de Gênero". O tráfico de mulheres, que atingiu dimensão mundial, é uma forma refinada de escravidão, disse Claudia.


VEJA TAMBÉM:

Comunicadoras desenvolvem "GPS" para averiguar importância que mídia dá às questões de gênero

 

A Associação Mundial para a Comunicação Cristã (WACC, a sigla em inglês) apresentou no Fórum sobre gênero e mídia reunido pela Unesco em Bangkok software que avalia, através de dez questões chaves, o comprometimento da mídia para a igualdade de gênero. Trata-se de uma espécie de GPS que mostra se o assunto é parte constituinte, estratégico ou inexistente na tarefa comunicacional.

O software está disponível em http://gps.contactgps.ch/ws/web/p/32 em inglês e francês. Ele será traduzido para mais idiomas.

Também foi apresentado no Fórum o e-book "Ferramentas de Aprendizagem para um Jornalismo de Gênero Ético e Políticas nas Empresas Editoriais".

O e-book, organizado pela WACC e a Federação Internacional de Jornalistas (FIP), está dividido em duas partes: a primeira, trata de temas conceituais e recursos práticos.

A segunda parte do e-book é um manual de recomendações para o exercício de um jornalismo que respeita as questões de gênero.

As duas novas ferramentas pretendem melhorar a cobertura de gênero no jornalismo e será apoio às conclusões fornecidas a cada cinco anos pelo Projeto de Monitoramento Global da Mídia, coordenado pela WACC, a respeito do papel da mulher no jornalismo e como fonte e sujeito de notícias e reportagens jornalísticas.

A editora de espanhol da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), Claudia Florentin, da Argentina, foi redatora de capítulos do e-book. “Essa foi uma das experiências mais desafiadora que tive em minha tarefa jornalística, pois obrigou-me a pesquisar para poder compartilhar ferramentas com colegas de todo mundo. Vi em minha região a importância desse texto na prática cotidiana”, disse.

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: