Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Ciclo de palestras sobre crenças, de 05/08 a 01/10, aborda crise na política

Ciclo de palestras sobre crenças, de 05/08 a 01/10, aborda crise na política

03/08/2010 19h03 - última modificação 03/08/2010 19h07

De 5 de agosto a 1º de outubro de 2010, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília recebem o Ciclo Mutações, que chega à sua quarta edição. O ciclo de conferências tratará dos efeitos da revolução tecnocientífica na mudança e prática das crenças, entendendo por crença não só o que se concentra no âmbito das religiões, mas também tudo quanto concerne aos ideais políticos, aos valores morais e éticos, às novas visões de mundo e às construções imaginárias no campo das artes.

Ciclo sobre crenças aborda crise na política

Organizada por Adauto Novaes, série de palestras começa na quinta em SP

Folha de S.Paulo, 3 de agosto de 2010


Desde "O Silêncio dos Intelectuais", realizado em 2005 sob o calor das denúncias do mensalão, os ciclos de conferências organizados pelo filósofo Adauto Novaes não são observados em função dos acontecimentos do momento.

Mas é enganoso pensar que Mutações - A Invenção das Crenças, que começa na próxima quinta-feira em São Paulo no Sesc Vila Mariana - e passará pelo Rio, por Belo Horizonte e por Brasília -, não tangencie temas como a campanha presidencial. "A crença na política é fundamental, mas ela está em baixa hoje. O que vemos hoje é uma discussão sobre quem será o melhor gestor, o melhor administrador. Não se apresentam plataformas políticas. É uma luta pelo poder. E essa não é uma situação particular do Brasil", diz Novaes.

O francês Jean-Pierre Dupuy, por exemplo, falará de "Sagração da Economia, Violência sem Limite". A crença excessiva na economia seria uma das responsáveis pela queda da política.

A crença que mais será abordada pelos 22 conferencistas é na ciência e na tecnologia. O tema já predominou nos outros três ciclos da série "Mutações", realizados entre 2007 e 2009 - o do ano passado, "A Experiência do Pensamento", sairá em livro neste ano."Acredita-se hoje na ciência e na tecnologia como se pudessem desvendar todos os segredos do homem e do mundo", ressalta Novaes.


CIÊNCIA-PODER


Ele afirma, no entanto, que não há nenhuma "visão doutrinária da anticiência". Isto soaria absurdo diante de tantos avanços, como as pesquisas com células-tronco."Fazemos uma distinção entre ciência-saber e ciência-poder. Queremos discutir os limites da ciência-poder. A ciência faz coisas, mas não costuma pensar sobre elas."

A expressão "vazio do pensamento" é recorrente na fala de Novaes e base de "Mutações". Num tempo em que predomina a técnica e em que tudo se dá em extrema velocidade, pensar se tornou um luxo tido como dispensável. Sobram as opiniões, fartamente distribuídas nos meios de comunicação.Marcelo Coelho, colunista da Folha, abordará o assunto e a ideia de "formadores de opinião" na conferência "Opinião e Crença".

É significativo que o ciclo comece com uma palestra que trate de arte: José Miguel Wisnik combinará Fernando Pessoa, Machado de Assis e Guimarães Rosa em "A Crença no Espelho".

O conceito de "coisas vagas" (arte, filosofia etc.), do escritor francês Paul Valéry (1871-1945), é um dos fundamentos do ciclo.

A razão, que foi imaginada no século 18, pelo iluminismo, como capaz de superar todas as crenças, estará em conferências como as de Sergio Paulo Rouanet e do ensaísta e colunista da Folha Antonio Cicero.

O franco-tunisiano Abdelwahab Meddeb, que falará de islamismo, e o francês François Jullien, que abordará as relações entre crenças orientais e ocidentais, são as novidades entre os palestrantes. (LUIZ FERNANDO VIANNA)

No SESC São Paulo, as inscrições já estão esgotadas. Mas as conferências do Rio de Janeiro serão transmitidas ao vivo pelo site da Academia Brasileira de Letras http://www.academia.org.br

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: