Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / SBB celebra a marca de 100 milhões de Bíblias

SBB celebra a marca de 100 milhões de Bíblias

17/06/2011 11h00 - última modificação 17/06/2011 11h58

Cerca de 1.500 pessoas compareceram ao grande culto de ação de graças, no qual a SBB comemorou também 63 anos de atividades, sempre fiel à missão de levar a Palavra de Deus para todas as pessoas.

“Esta é uma noite de celebração e agradecimento, uma noite de festa para o Livro Sagrado”. Foi desta forma que o secretário de Comunicação e Ação Social da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), Erní Seibert, abriu o grande culto de ação de graças realizado no dia 10 de junho, no Ginásio Poliesportivo José Corrêa, em Barueri (SP), para comemorar uma conquista especial para os cristãos de todo o mundo: 100 milhões de Bíblias (87 milhões) e Novos Testamentos (13 milhões) produzidos.
 
O evento atraiu cerca de 1.500 pessoas, entre elas, autoridades civis, lideranças religiosas e 200 representantes de Sociedades Bíblicas de mais de 60 países que participaram, no Museu da Bíblia, da UBS Publishers’ Fair, feira internacional de publicadores da Bíblia realizada no Brasil pela primeira vez. A emoção marcou cada etapa do culto, pontuado por hinos de louvor a cargo de Rachel Novaes, Arautos do Rei e Ministério ORBRAC, além de vídeos, com destaque para depoimentos de pessoas que tiveram suas vidas transformadas pela Palavra de Deus.
 
Conforme exaltou Erní Seibert, havia 100 milhões de motivos para comemorar, porque milhões de sementes de amor e esperança foram lançadas em todos os cantos do mundo. No entanto, ele manifestou o desejo de que a marca inédita alcançada seja apenas o começo de uma renovação. “Menos da metade das línguas faladas no Brasil tem um trecho da Bíblia traduzido. Então, ainda há muito a ser feito”, afirmou.
 
A integrante da Diretoria da SBB, Lourdes Lemos Almeida, fez a leitura da Parábola do Semeador, que mostra a importância de semear a Palavra de Deus. O texto foi lembrado várias vezes durante o evento, por remeter ao esforço da SBB e das igrejas cristãs na distribuição de Bíblias.     
 
 
 Ao resgatar um pouco dos 63 anos de história da SBB, o diretor executivo da organização, Rudi Zimmer, afirmou que as igrejas fundaram a SBB, para que pudessem continuar essa semeadura. “Cada ser humano merece ter acesso à Palavra de Deus”, ele ressaltou, complementando que hoje, além de atender aos cristãos brasileiros, a SBB exporta Bíblias para 105 países.
 
A mensagem bíblica da noite ficou a cargo do presidente da SBB, Adail Carvalho Sandoval, que escolheu o Salmo 75 versículo 1 para reiterar o tempo de agradecer a Deus pela conquista de 100 milhões de Bíblias. Ele ainda recorreu ao poema “O Livro e a América”, de Castro Alves (Oh! Bendito o que semeia/ Livros... livros à mancheia...), para enaltecer a distribuição do texto bíblico.
 
Por sua vez, o secretário executivo das Sociedades Bíblicas Unidas, Michael Perrau, falou da satisfação de estar ali como “testemunha da graça de Deus às nações” e em seguida os participantes da UBS Publishers’ Fair prestaram homenagem ao Livro Sagrado, depositando junto ao palco as bandeiras e Bíblias de seus países.
 
Uma garotinha foi responsável por um dos momentos mais emocionantes da noite, ao entregar a Bíblia de número 100 milhões ao presidente Adail Sandoval e ao diretor executivo Rudi Zimmer.
 
Coube a Alfredo Weiszflog, membro da diretoria da SBB, presidente do Conselho de Administração da Companhia Melhoramentos e presidente do Conselho de Curadores da Fundação Dorina Nowill, fazer a oração final. Agradeceu a conquista histórica desejando “que todos os povos possam ter acesso à Tua Palavra na língua que lhes fala ao coração e no meio mais acessível”. A comemoração foi encerrada com a bênção proferida pelos presidentes de honra da SBB Guilhermino Cunha e Enéas Tognini.
 
 
Feito inédito
O expressivo número de 100 milhões de Bíblias vinha sendo contabilizado desde setembro de 1995, quando a Gráfica da Bíblia, instalada na Sede Nacional da SBB, em Barueri (SP), foi inaugurada. Desde então, a unidade representou um verdadeiro divisor de águas na produção, encadernação e distribuição de literatura bíblica no Brasil. Hoje, constitui-se um dos maiores centros produtores de Bíblias do mundo.
 
A Bíblia símbolo dessa marca mundialmente inédita foi produzida no dia 26 de maio último e ganhou edição comemorativa. É composta por duas traduções: a histórica Tradução Brasileira, de 1917, a primeira a ser feita totalmente no Brasil; e a Nova Tradução na Linguagem de Hoje, lançada no ano 2000 e pioneira ao trazer o conteúdo bíblico em uma linguagem mais simples e fácil de ser compreendida pela população brasileira.
 
A Gráfica da Bíblia
Criada para servir as igrejas cristãs no Brasil e no mundo, a Gráfica da Bíblia tem excelência reconhecida além das fronteiras nacionais, permitindo que a SBB exporte para mais de 100 países das Américas, África, Ásia e Europa. De suas instalações saem exemplares em português, espanhol, inglês, francês, árabe e até em ioruba, idioma falado em países africanos. Do total de Escrituras produzidas, 20% foram destinados à exportação.
 
Produzindo um exemplar da Bíblia a cada três segundos, anualmente, a Gráfica da Bíblia responde por uma produção média de 8,5 milhões de Bíblias. Por mês, são utilizadas 800 bobinas de papel que, se desenroladas, equivalem a 24 mil quilômetros. O papel consumido em um ano seria suficiente para dar 7,2 voltas na Terra.
 
A SBB

A Sociedade Bíblica do Brasil é uma entidade sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, assistencial, educativa e cultural. Sua finalidade é traduzir, produzir e distribuir a Bíblia, um bem de valor inestimável, que deve ser disponibilizado a todas as pessoas. Além disso, por seu caráter social, desenvolve programas com o objetivo de promover o desenvolvimento espiritual, ético e social da população brasileira. Fundada em 1948, construiu sua trajetória com base na missão de "promover a difusão da Bíblia e sua mensagem como instrumento de transformação espiritual, de fortalecimento dos valores éticos e morais e de incentivo ao desenvolvimento humano, nos aspectos espiritual, educacional, cultural e social, em âmbito nacional”.
 
A SBB faz parte de uma fraternidade mundial criada no início do século XIX com o objetivo de facilitar o processo de tradução, produção e distribuição das Escrituras Sagradas por meio de estratégias de cooperação mútua. As SBU congregam 146 Sociedades Bíblicas, atuantes em mais de 200 países e territórios. Essas entidades são orientadas pela missão de promover a maior distribuição possível de Bíblias, numa linguagem que as pessoas possam compreender e a um preço que possam pagar.

Foto – menina entrega a Bíblia de número 100 milhões ao diretor executivo da SBB, Rudi Zimmer. A seu lado, o presidente da entidade, Adail Carvalho Sandoval

Fonte: Luciana Garbelini/Oficina da Palavra

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: