Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Revista Tempo e Presença trata da sacralização da mídia e traz artigos de professores da FaTeo

Revista Tempo e Presença trata da sacralização da mídia e traz artigos de professores da FaTeo

29/04/2009 16h57 - última modificação 29/04/2009 17h04

A revista eletrônica Tempo e Presença, publicação da entidade ecumênica Koinonia, traz em sua edição de abril de 2009 (nº 15) o tema Mídia sacralizada e religião secularizada, que aborda a “avassaladora presença das manifestações religiosas nos circuitos midiáticos”. Entre os articulistas, que refletem sobre esse fenômeno sob diferentes perspectivas, participam da edição dois professores da Faculdade de Teologia. A professora Magali do Nascimento Cunha contribui com o artigo Religiosidade Midiática em tempos de cultura “gospel” e o professor Luiz Carlos Ramos assina o artigo Luzes, câmera, pregação! Princípios, meios e fins da homilética espetacular.


Religiosidade Midiática em tempos de cultura “gospel”


As igrejas, em geral, nunca rejeitaram os meios eletrônicos de comunicação social, diz Magali Cunha em seu artigo. O objetivo, desde a época da emergência desses meios, em especial do rádio e da televisão, era convencer pessoas a optarem pelo Evangelho, e garantir a visibilidade das igrejas nos espaços sociais. Mas o campo religioso tem sofrido transformações. Já não é possível abordá-lo sem vincular a análise a uma nova forma do mercado de consumo e sua presença na mídia num contexto religioso. “Esse mercado, ao longo dos anos de presença cristã no continente, já era forte no campo editorial, mas sua expansão deu-se principalmente por meio do mercado fonográfico, estimulado pelo movimento gospel”, afirma a professora. “O desafio imposto no tempo presente é uma releitura do fenômeno da presença dos grupos religiosos nos meios de comunicação e a consequente recriação do conceito de Igreja Eletrônica em virtude da conjuntura sociocultural-política-econômica-religiosa experimentada na última década do século XX e na primeira do XXI. Não é mais possível analisar esta presença na mídia com as mesmas noções construídas nos anos de 1970 e 1980 bem como utilizar a mesma terminologia.”


Luzes, câmera, pregação! Princípios, meios e fins da homilética espetacular.


A prática homilética contemporânea é moldada pela sociedade do espetáculo, afirma Luiz Carlos Ramos. A base principal dessa sociedade espetacular é a economia de mercado globalizada aliada aos meios eletrônicos de comunicação de massa e à tecnologia da informação, de onde surge o seu principal produto: a indústria do entretenimento. A lógica de mercado exige que a homilética agrade às massas, alerta o professor. Por isso, enquanto a homilética convencional, mediante o procedimento hermenêutico, procura atualizar a mensagem do texto bíblico à luz da tradição e do testemunho acumulado historicamente pela Igreja, a homilética espetacular opta pela “pesquisa de opinião”. “Se, em outros tempos havia um compromisso de coerência com o que os pregadores supunham ser a verdade, no mundo da mídia, a verdade é a opinião pública, o “Ibope”.Como se trata de um empreendimento demasiadamente oneroso, a homilética da mídia não pode se dar ao luxo de dispensar audiência.” (...). “ Daí a necessidade dessa homilética de trabalhar com os mesmos mecanismos de sedução da mídia: o apelo ao narcisismo, os estereótipos, o mecanismo de transferência de valores e o fascínio das estrelas, para mencionarmos apenas alguns”. “(...) em lugar da retórica sagrada, que se encarrega de traduzir em acontecimento a intenção do pregador ou pregadora — na forma de desafios concretos para a transformação ou confirmação de valores com vistas a um futuro melhor —, na homilética espetacular, essa escatologia é substituída pela ansiedade imediatista do aqui e agora. Assim como não interessa ao espetáculo o passado, tampouco interessa o futuro. Para a sociedade do espetáculo, tudo é um eterno presente.”

Leia estes artigos na íntegra no site: http://www.koinonia.org.br/tpdigital/

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: