Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Professores da FaTeo participam do I Congresso Internacional com o tema "Religião e Sociedade"

Professores da FaTeo participam do I Congresso Internacional com o tema "Religião e Sociedade"

12/09/2012 12h10 - última modificação 12/09/2012 13h12

 

Os professores Magali do Nascimento Cunha e Luiz Carlos Ramos estão participando do I Congresso Internacional das Faculdades EST em São Leopoldo, Rio Grande do Sul. O evento, que começou no dia 10 e se encerra no dia 14 de setembro, reúne 14 simpósios temáticos sob o tema “Religião e Sociedade: desafios contemporâneos”.

No dia 13 de setembro, às 8h30,  a Profª. Magali Nascimento Cunha profere a palestra “Religião na esfera pública: a tríade mídia, mercado e política e a reconstrução da imagem dos evangélicos brasileiros na contemporaneidade”. Ela aborda a presença dos evangélicos na esfera pública e a reconstrução da imagem desse grupo religioso, à luz dos números do Censo Brasil 2010. No mesmo dia, às 10h30,  ela participa, juntamente com Dennis Smith (atual presidente da WACC, World Association for Christian Communication - Associação Mundial para a Comunicação Cristã),  de uma mesa redonda a respeito do tema “A música gospel e os novos protagonismos no culto”. Nessa mesa redonda, o professor Luiz Carlos Ramos, especialista em Liturgia da FaTeo, atuará como moderador.

O professor Luiz Carlos também profere palestra durante o evento. No dia 13 de setembro, às 10h30, ele fala em mesa redonda sobre   “A pregação na Idade Humana: possibilidades homiléticas para a Igreja do futuro”, juntamente com o professor Amós Lopes. O moderador dessa mesa será o professor  Júlio Cézar Adam.

LEIA TAMBÉM:

Faltam cronistas, alerta teólogo luterano

A sociedade contemporânea alijou-se de seu próprio tempo e lugar, pois negou-se à solidariedade com o seu espaço social em que habita, disse o teólogo luterano Vitor Westhelle, na palestra que abriu, ontem à noite, o I Congresso Internacional da Faculdade EST sobre "Religião e sociedade: desafios contemporâneos".

Edelberto Behs
terça-feira, 11 de setembro de 2012

Agência Latino-americana e Caribenha de Comunicação

Em uma de três teses apresentadas na abertura, Vitor caracterizou a contemporaneidade como uma atitude, que implica a ousadia de encarar o lado obscuro do real. Fazem falta, nessa sociedade marcada pela irresponsabilidade, cronistas que saibam ver no escuro, o lado oculto do que vem à superfície, defendeu.

"Crônica" intitula dois livros do Antigo Testamento. Em hebraico, "dabari himim" (palavras coletadas) significa prestar contas dos eventos do dia, "das coisas reais do que sucede independente de sua aparente relevância".

O teólogo brasileiro reportou-se à escritora indiana Arundhati Roy, uma das incentivadoras do Fórum Social Mundial, que reivindicava: "Temos de encontrar uma maneira de forçar que os fatos reais voltem ao noticiário".

"Essa é uma característica que define o nosso tempo e é controlado por um sistema global em que a responsabilidade, por sistêmica necessidade, não faz parte das coisas que contam. Eis porque necessitamos de cronistas que nos contem essas histórias e que sejam acessíveis", afirmou o palestrante.

A ambiguidade, destacou o reitor da Faculdades EST, professor Oneide Bobsin, está presente tanto na religião como na ciência e na política. A ciência, afirmou, empalhou a religião e tirou dela verdades que ela nunca disse. "O nosso esforço, nesse congresso, será de não insistir no que a religião nunca quis dizer", admoestou.

A religião, frisou o reitor da EST, tem uma função terapêutica na sociedade, pois se não fosse por ela os hospitais e as prisões estariam ainda mais lotados.

Na presença do prefeito municipal, Ary Vanazzi,  e do secretário de Estado da Cultura, Luis Antonio de Assis Brasil, representando na abertura o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, Oneide sugeriu, em tom de chiste, que o Estado pagasse imposto às igrejas, pois elas prestam um serviço que não é reconhecido.

Mais de 330 teólogos, pesquisadores e estudantes, de quatro continentes acorreram a São Leopoldo para esse I Congresso  com o intuito de analisar, nas palavras do coordenador do evento, o teólogo suíço Rudolf von Sinner, o rico e perigoso potencial que as religiões dispõem de poder contribuir para a convivência pacífica entre os povos.

Ao falar em nome dos nove teólogos sul-africanos presentes no Congresso, o professor de Teologia Sistemática da Universidade da África do Sul, Rothney Tshaka, lembrou que o seu país, assim como o Brasil, tem um fosso entre ricos e pobres. Ele destacou a importância do evento como um espaço para perguntar que papel a religião desempenha num país com tantos problemas.

Na abertura do encontro, von Sinner anunciou a realização do II Congresso Internacional, que a EST sediará de 8 a 12 de setembro de 2014.

 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: