Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Na Aula Magna da FaTeo, um olhar teológico para o bispo Edir Macedo

Na Aula Magna da FaTeo, um olhar teológico para o bispo Edir Macedo

22/02/2013 13h15 - última modificação 22/02/2013 13h50


O nome de Edir Macedo, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, é conhecido internacionalmente, não raro envolvido em polêmicas na imprensa e diversos estudos no meio acadêmico. “Há uma produção extraordinária sobre neopentecostalismo e Igreja Universal na área de Ciências Sociais e Ciências da Religião, mas quase nada do ponto de vista teológico”, constatou o professor e bispo metodista Paulo Ayres quando se decidia pela escolha do tema de sua tese de doutorado, defendida na Drew University, dos Estados Unidos. Hoje, após a publicação de sua tese sobre a “teologia sacrificial” de Edir Macedo, pesquisadores já podem contar com uma obra de referência na área.

“A Teologia Sacrificial de Edir Macedo: uma leitura crítica” foi o tema da Aula Magna da FaTeo nesse primeiro semestre de 2013, seguindo a tradição de se abrir os semestres letivos com a produção acadêmica do corpo docente.  O Prof. Dr. Paulo Ayres iniciou sua conferência ressaltando a relevância do olhar acadêmico sobre o pentecostalismo: “tem cerca de 700 milhões de adeptos em todo o mundo e, em nosso país, não tem recebido a devida atenção”.

Em seu trabalho, o professor afirma que as raízes religiosas de Edir Macedo têm a ver com as matrizes religiosas do catolicismo popular brasileiro, as espiritualidades africanas do candomblé e da umbanda e as tradições pietistas evangélico-pentecostais,  incorporadas em sua experiência de conversão. Lembrando que as religiões brasileiras, de maneira geral, são sacrificialistas, o professor Paulo Ayres destaca a estreita associação entre “sacrifício, sangue e dinheiro”, que é expressa numa emblemática frase de Edir Macedo: “O dinheiro é o sangue da igreja”.

O professor não desconsidera a transformação operada na vida de muitas pessoas que freqüentam os cultos da Igreja Universal do Reino de Deus – “é sinal de que a misericordiosa graça de Deus não se subordina à vida de santidade de seus líderes, conforme vemos no sermão 104 de John Wesley”, afirma. Contudo, diz que não se pode negociar com a teologia que essa igreja difunde. “Ou se aceita ou se confronta. Diante dessa teologia, ou a Igreja fica de pé ou cai. E a Igreja está caindo...” disse o professor – nesse momento falando “pastoralmente”, como admitiu ao auditório,  entre aplausos.  

Fotos: Luciana de Santana/FaTeo

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: