Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Museu da Memória do Uruguai inaugura exposição sobre a Igreja Metodista na resistência à ditadura

Museu da Memória do Uruguai inaugura exposição sobre a Igreja Metodista na resistência à ditadura

30/05/2011 14h10 - última modificação 30/05/2011 14h14

No Museu da Memória da Prefeitura de Montevidéu foi inaugurada a exposição “Ser Igreja na Ditadura. Testemunho e Resistência Solidária”, que constitui um fato sem precedentes em nível continental e um importante registro em nível nacional. A proposta de que a Igreja Metodista no Uruguai (IMU) tivesse um espaço no Museu da Memória (MUME) foi feita pelo diretor do museu, Elbio Ferrario. Foi apropriada a menção do pastor Raul Sosa, Presidente da IMU, ressaltando que este acontecimento se situava na compreensão da laicidade própria do Estado uruguaio, já que a iniciativa partiu de um organismo público.

O MUME, situado em uma ampla propriedade com construções clássicas, tem várias salas de exposição de distintos aspectos da resistência e de elementos das celas onde estiveram as presas e os presos, incluindo as roupas que vestiam. Além do público que visita regularmente a exposição, as escolas do ensino médio a utilizam para visitas guiadas com seus alunos e alunas. A partir do dia 21 de junho, sábado, a sala correspondente à IMU estará incluída nestas visitas. Os responsáveis por este projeto já acertaram com o diretor do MUME para que nestas ocasiões haja metodista ampliando a compreensão do que estiver exposto.

Em uma das principais paredes encontram-se muito visíveis as palavras de Jesus: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, e junto com valiosos documentos, em um outro espaço muito adequado estarão expostas fotos de como ficou o templo da Igreja Metodista Central depois que colocaram uma bomba em seu edifício e recortes dos jornais da época com os detalhes do atentado.

Os pastores Oscar Bolioli, Ademar Olivera, Rodolfo Míguez, Aníbal Sicardi e a professora Carolina Vallejo, membros da equipe que concretizou o projeto, emitiram sua opinião sobre o acontecimento e sobre a participação metodista contra a ditadura, sublinhando o fato de que isto foi parte da vocação de solidariedade exigida por Jesus Cristo, incluído na resistência de outros setores da cidadania uruguaia.

A exposição da IMU será mantida por três meses no MUME e depois seguirá para outras cidades do Uruguai. Este acontecimento é um marco na história do metodismo uruguaio que pelo menos há 25 anos, um quarto de século, não conseguia impactar a sociedade e cultura nacional de modo semelhante ao que se dá nesta ocasião. A IMU celebrará 133 anos como igreja organizada no próximo 19 de junho.

Fonte: ALC Notícias/Sede Nacional da Igreja Metodista

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: