Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Mensagem de Pentecostes do Conselho Mundial de Igrejas

Mensagem de Pentecostes do Conselho Mundial de Igrejas

10/06/2011 14h15 - última modificação 10/06/2011 14h16

"Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis mimhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra" (Atos 1.8)

 A promessa de Cristo ressuscitado antes da sua ascensão foi atualizada no dia de Pentecostes, em dois tipos de poder: o som "como de um vento impetuoso" e "línguas como que de fogo" (Atos 2, 2-3). O advento do Espírito Santo supera qualquer descrição possível. Por esta razão, o evangelista Lucas usa a palavra "como".

O  vento forte renova totalmente a atmosfera inteira, cria um novo clima, proporcionando um ambiente de vida, dando fôlego e energia. "Essa energia encheu toda a casa onde estavam sentados." Os discípulos foram inundados, imersos,"batizados" nessa energia divina, como o Senhor tinha anunciado anteriormente: "dentro de alguns dias sereis batizados com o Espírito Santo" (Atos 1, 5).

O outro tipo de poder é simbolizado por "línguas como que de fogo". É uma manifestação da energia criadora de Deus. O fogo queima, aquece, ilumina. O Espírito Santo age no mundo "como" fogo, queimando tudo o que é perigoso e inútil - aquecendo-o, confortando e fortalecendo. O Espírito Santo permanecerá para sempre como uma fonte de iluminação, revelando a verdade sobre o mistério da Santíssima Trindade e da existência humana.

O Espírito Santo vem numa hora em que "estavam todos reunidos no mesmo lugar" (Atos 2,1), numa celebração de ação de  graças - o "Pentecostes". Vem numa reunião de  fiéis - "entre os irmãos" de "cerca de cento e vinte" (cf. Atos 1, 15), a fim de transformar o encontro na Igreja do Deus Uno e Trino. O "vento impetuoso" não tem origem no sentido terreno, mas "do céu", do "Pai nos céus". A presença ardente é dividida em línguas "e pousou uma sobre cada um deles". Desta forma, a relação direta entre o Espírito e a Palavra de Deus (o Logos) é revelada, juntamente com o caráter pessoal dos dons divinos. O Espírito vai revelar Cristo como Senhor e Salvador (cf. I Cor. 12, 3) para os seres humanos e o levará, juntamente com a sua graça, para o coração humano. O Espírito Santo continua a obra salvífica de Cristo, no tempo e no espaço, irradiando a energia divina, de maneira muitas vezes incompreensível à mente humana. "O vento (pneuma) sopra onde quer" (João 3, 8).

O poder, que os discípulos receberam no dia de Pentecostes, com o advento do Espírito Santo, não diz apenas respeito ao progresso espiritual deles. Não é uma iluminação individualista, um estado de êxtase e de sorte para desfrutarem individualmente. O Espírito é oferecido para a transmissão do evangelho da salvação para todo o mundo habitado, o oikoumene, para continuar o trabalho de transformação do mundo, a obra que Cristo começou: "recebereis uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra "(Atos 1, 8). Os discípulos, que até então tinham tido medo, são transformados em apóstolos corajosos, os que são enviados para continuar o ministério de Cristo no mundo. E a Igreja torna-se para todos os tempos "apostólica".

O desejo firme de cada um dos fiéis é tornar-se um templo do Espírito Santo, para que a personalidade de cada um possa ser aperfeiçoada com a maturidade dos frutos do Espírito dentro si (Gl 5,22), de modo que cada um possa tornar-se um portador do Espírito de amor, verdade, santidade e da reconciliação nos seus arredores, para os mais próximos e distantes, e contribuir para uma constante renovação da humanidade.

Toda a celebração de Pentecostes oferece uma nova oportunidade a cada comunidade eclesial para viver, na eucaristia e no louvor, o advento do dom do Espírito Santo, para renovar a nossa confiança no poder do Espírito e para implorar com toda a intensidade da nossa alma:

Espírito Santo "vem morar em nós e purifica-nos de toda mancha":

Reforça a nossa coragem e determinação.

Renova e dá novo fôlego e energia à Igreja.

E dá-nos o poder de nos tornarmos, no mundo de hoje que sofre,

"mártires" da cruz e da ressurreição, testemunhas da justiça, paz e esperança.

 

Os presidentes do Conselho Mundial de Igrejas

 

- Arcebispo Dr. Anastásios de Tirana e de toda a Albânia, da Igreja Ortodoxa Autocéfala da Albânia

 

- Sr. John Taroanui Doom, da Igreja Protestante Maohi (Polinésia Francesa)

 

- Rev. Dr. Simon Dossou, da Igreja Metodista em Benin

 

- Rev. Dr Soritua Nababan, da Igreja Protestante Batak (Indonésia)

 

- Rev. Dr. Ofélia Ortega, da Igreja Presbiteriana Reformada de Cuba

 

- Patriarca Abune Paulos, da Igreja Ortodoxa Etíope Tewahedo

 

- Rev. Dr. Bernice Powell Jackson, da Igreja Unida de Cristo (EUA)

 

- Dr. Mary Tanner, da Igreja da Inglaterra

 

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: