Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / FaTeo viabiliza projeto de discipulado com estudantes e familiares

FaTeo viabiliza projeto de discipulado com estudantes e familiares

16/09/2015 21h24


Para atender estudantes e seus familiares em todas as fases da faculdade, a FaTeo tem investido num projeto de discipulado de pastoreio em pequenos grupos. O grupo embrionário conta com três pastores e uma pastora, e sete estudantes, sendo duas alunas e cinco alunos que já estão desenvolvendo trabalho com grupos de seminaristas e familiares.


O reverendo Adilson Mazeu é o pastor da comunidade e juntamente com os pastores professores Eber Borges, Danielle Lucy Bosio Frederico e Jonadab Domingues, está à frente do projeto, que tem como mentor o pastor Josadak de Lima, da 6ª Re.

 

Alguns encontros  de mentoria já aconteceram e para este semestre ainda estão previstos outros três: dias 29 de setembro, 20 de outubro e 17 de novembro. “Faremos os encontros com o pr. Josadak, na parte da manhã com os pastores envolvidos, e na parte da tarde com este grupo, dando continuidade ao projeto”, explicou o reverendo.

 

O objetivo do projeto, agora, é que o grupo de estudantes fique bem montado, “que haja comunhão, abertura, pastoreio, comprometimento. É essa forma que multiplica e vai fazer alcançar todas as turmas”.

Pelo projeto, neste primeiro ano, o alvo são as turmas de 1° e 2° anos. “Quem está no segundo, hoje, a partir do ano que vem estará no 3° ano e alcançará a turma. E a partir do terceiro ano do projeto, teremos alunos e alunas dos quatro períodos alcançados”.

 

O discipulado, implantado na FaTeo, parte do pressuposto da liberdade e confiança. “Não adianta ter um estudo maravilhoso. É preciso ter liberdade pra poder falar um pouco da gente. Isso é bastante terapêutico. Além disso, a gente pode estabelecer desafios, tarefas em cada encontro, para serem compartilhados  no próximo. Isso gera elo, compromisso e cumplicidade.”

 

Durante os encontros de mentoria, o pastor Josadak trabalhou a conceituação do discipulado, o que se espera:  “gastar tempo com o outro, aprender com a prática, valorizar o outro, ter o cuidado pastoral, não sobre o outro, mas junto.” Para esse trabalho, o pastor Josadak utilizou textos bíblicos que falam de Paulo, Barnabé e Marcos.


Os Grupos

Procurando pessoas com perfil específico, disponíveis, acolhedoras, o pr. Adilson formou o grupo de sete estudantes do 1° e 2° anos. “A Cecília foi a primeira. Ela me procurou. Perseverante e carismática, com o grupo de mulheres, até mudou o nome do lugar onde moram. A vilinha no térreo do conhecido pombal ganhou o nome de Vila Esperança.”

 

Trabalhando com as seminaristas casadas e esposas de seminaristas, Cecília já fez a ponte com as moradoras de fora do campus e se reúne com o grupo chamado Mulheres de Paz.

 

 

“O Nelson, tem jeito carismático e quando chamei ele já pensei nos homens casados com seminaristas, que ficam praticamente isolados. Então, o Nelson abraçou essa causa de caminhar com os esposos de seminaristas. Acho legal isso, porque é um trabalho difícil ser esposo de pastora.”

 

Pastor Adilson conta que o aluno David já vinha desenvolvendo um trabalho de cuidado com os jovens da parte esquerda do 3° andar do “Pombal”. O grupo dele é o do corredor. Na sequência, o pastor convidou o Fernando. “Ele falou: pastor Adilson, eu posso ir pra ver como funciona... E ficou”.

 

Um grupo com seminaristas solteiras está se reunindo com a Rafaela, numa das casas. “Por enquanto não estamos atendendo a todas, mas o objetivo é multiplicar e alcançar todos os sobrados do campus”.

 

Pensando naqueles que estão chegando e ainda não estão inseridos em grupos, foi formado um grupo dos sem grupos que tem o auxílio do Vicenço, do primeiro ano. “Olha que interessante: alunos sem grupo,formando um grupo.”


O outro grupo que já está em formação engloba alunos do 1° e 2° anos e funciona com o apoio do aluno Gladston.

 

Apoio

O projeto de discipulado é um investimento da diretoria da faculdade, “um projeto que o Prof .Paulo Roberto Garcia (reitor da FaTeo) enxergou como necessário e comprou a ideia. Agora, nossa esperança é de ajudar na vida interna de alunos e alunas, e deixar no coração de cada discente o que é o pastoreio mútuo. Eu creio e essa visão que também é da faculdade, de que o pastoreio de pequenos grupos é bíblico e sempre terá continuidade. A faculdade está em consonância com o desafio  do Colégio Episcopal. E a nossa configuração não é de multiplicação, mas de pastoreio, partilha e confiança”, finalizou.

 

 

Texto: Rose Rosa
Fotos: Ricardo Bissolato

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: ,

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: