Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Estudantes de Teologia fazem doação de sangue e cadastro de medula óssea

Estudantes de Teologia fazem doação de sangue e cadastro de medula óssea

10/05/2016 21h32

 

Um grupo de estudantes de teologia, juntamente com o pastor da comunidade, o reverendo Adilson Mazeu, estiveram no Hemocentro da Santa Casa de São Paulo, nesta sexta (06/05) para fazer doação de sangue e cadastro de medula óssea.

 

 

A ideia de formar o grupo para a doação aconteceu durante a preparação da liturgia do culto da FaTeo, do dia 06 de abril, que fez alusão ao Dia Nacional de Combate ao Câncer (08 de abril). A incumbência da preparação de explicação sobre o Combate ao Câncer e sobre a campanha entre estudantes ficou por conta das alunas de teologia, Lidia e Rebeca, ambas com formação na área de enfermagem.  

 

 

Respeitando os requisitos necessários para a doação de sangue, estudantes aproveitaram a ida ao hemocentro para atender ao pedido do jovem Tiago, submetido a uma cirurgia nesta segunda (10), por conta de um câncer, e que necessitava de doação de sangue do tipo O negativo. Tiago é filho da pastora Elena, que fez parte da pastoral da Umesp.

 



Medula óssea

A medula óssea é a matriz do sangue, encontrada na parte interna dos ossos. É onde se tem a origem dos glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. O cadastro de medula óssea é feito coletando 5ml de sangue dos possíveis doadores, e o registro vai para um banco de dados. Quando há compatibilidade o doador é convocado para um exame mais detalhado.

 

O transplante de medula é indicado para pessoas que têm doenças que comprometem a produção de sangue, como a leucemia, e ainda para crianças com doenças genéticas. “O transplante de medula pode salvar uma vida e o problema da compatibilidade é o que mais dificulta, então, eu creio que ser compatível, poder fazer a doação é um privilégio para qualquer pessoa”, disse Lidia Ueda.

 

 

Ela lembrou também que é preciso desmistificar a doação de medula óssea no Brasil. “Existe um conceito errado sobre esse assunto. Algumas pessoas vieram me perguntar sobre dor, e o que poderia acontecer, porque seria tirado sangue da coluna vertebral. Isso não é verdade. Nada é feito na coluna. O hemocentro divulga duas formas de doação: pela veia, chamada aférese e pela coleta direta da medula no osso da bacia. Não existe risco na doação de medula”.  

 




Para quem não foi na sexta, mas quer participar desse ato voluntário, pode falar com as alunas Lidia ou Rebeca, do 1° ano matutino, para mais informações sobre o procedimento.

 

Texto: Rose Rosa
Fotos: Lidia Ueda

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: ,

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: