Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Diário do Grande ABC destaca pastor metodista com muita história para contar

Diário do Grande ABC destaca pastor metodista com muita história para contar

14/10/2011 13h15 - última modificação 14/10/2011 13h13

O Reverendo Dorival Beulke, pastor metodista, ex-aluno da FaTeo, ex-diretor da Faculdade de Comunicação Social da Universidade Metodista e membro da comissão organizadora da Conferência do Nordeste, em 1962, é um dos palestrantes da Semana de Estudos Teológicos que a FaTeo realiza de 24 a 26 de outubro. Ele foi destaque na Seção Memória do jornal Diário do Grande ABC desta semana:

 

O jornal Diário do Grande ABC destaca na seção Memória dos dias 13 e 14 de outubro, a campanha eleitoral à prefeitura de São Bernardo do Campo do ano de 1951, na qual quatro alunos da Faculdade de Teologia tiveram uma participação especial, posicionando-se contra a ameaça de violência na campanha. Um desses alunos, Dorival Beulke, seria nomeado para estabelecer o trabalho missionário metodista no nordeste. Em 1960, o gaúcho natural de Quaraí foi para Recife. Ele seria membro da Comissão Organizadora da histórica (e polêmica) Conferência do Nordeste, que ocorreu no ano de 1962, levando a Igreja a discutir o seu compromisso político e social. Quem vier à Semana de Estudos Teológicos terá a oportunidade de ouvir como foi essa história.

Dorival Beulke

 

Leia o relato que o Diário publica hoje:

"Porrete nele"
Texto: Dorival Beulke

O candidato situacionista, do PSP do governador Adhemar de Barros, era Edmundo Delta, irmão da deputada estadual Tereza Delta. O outro candidato, do PTB de Getúlio Vargas, era Lauro Gomes de Almeida, genro do Dr. Arthur Rudge Ramos.

Pois bem, ao cair de uma tarde de setembro de 1951, distante apenas um mês da data do pleito, dois alunos da Faculdade de Teologia da Igreja Metodista, localizada, como ainda hoje, no bairro de Rudge Ramos, estudavam na biblioteca da instituição, quando chegaram aos seus ouvidos, por meio de potentes alto-falantes, as palavras de Tereza Delta, conclamando os moradores nos seguintes termos:

- Minha gente. Amanhã, ao anoitecer, neste mesmo local, um tal de Lauro Gomes virá fazer comício. Minha gente. Quero que vocês se armem de porretes e, quando ele chegar, façam o que lhes estou pedindo: desçam a lenha nele!

Irritados com aquele linguajar nada delicado da oradora, os dois alunos decidiram comparecer ao comício de Lauro Gomes.

De fato, no dia seguinte, lá estavam, junto a um antigo coreto, não apenas dois, mas quatro alunos da Faculdade de Teologia: Erasmo Ungaretti, Moysés Cavalheiro de Moraes e eu. O outro era o Lenildo Magdalena.

O coreto, relativamente pequeno, regurgitava de partidários de Lauro Gomes. De repente, um dos próceres do PTB desceu e nos procurou. Indagou se éramos alunos da Metodista. Erasmo adiantou-se e respondeu que sim, e acrescentou que tinham vindo expressar solidariedade ao "seo" Lauro. O interlocutor quis saber se um dos quatro desejava falar. Erasmo respondeu positivamente e, ali mesmo, o nome de Lenildo foi indicado.

Nota: O estudante de teologia Lenildo Magdalena se tornaria o orador oficial da campanha de Lauro Gomes e nunca mais sairia da política. Em 1955, candidatou-se a vereador e venceu sua primeira eleição. Foi vereador de São Bernardo por 40 anos. O jornal também destaca o livro de crônicas que ele acaba de lançar: "O Chamado Interior".


Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: