Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Dezesseis dias de ativismo para combater a violência contra as mulheres

Dezesseis dias de ativismo para combater a violência contra as mulheres

27/11/2012 10h00 - última modificação 27/11/2012 10h09

21.11.12

Para despertar a sociedade e a Igreja para o problema da violência contra as mulheres, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) iniciou, no domingo, 25, a campanha "16 Dias de Ativismo contra a Violência de Gênero".


O CMI está convidando pessoas e comunidades a aderirem aos "16 Dias de Ativismo contra a Violência de Gênero" através de reflexões, orações, e ações de combate à violência contra as mulheres.

Para por um fim à violência contra as mulheres, um tema que está no centro das campanhas de defesa dos direitos das mulheres, será realizado a campanha 16 Dias de Ativismo, que irá de 25 de novembro a 10 de dezembro, período que inclui o Dia Internacional dos Defensores dos Direitos Humanos (29 de novembro), o Dia Mundial de Combate à AIDS (1 de dezembro) e o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro).

Como parte dos 16 Dias de Ativismo, o programa do CMI sobre Mulheres na Igreja e na Sociedade lançou um  kit de recursos, que está disponível no site do CMI, como auxílio às igrejas e a grupos da sociedade civil ao redor do mundo.

Os recursos foram desenvolvidos em colaboração com a Associação Cristã de Moças (YWCA) e a Federação Universal de Movimentos Estudantis Cristãos (WSCF).

Os materiais disponíveis incluem estudos bíblicos, reflexões teológicas, vídeos, links, orações e ideias para atividades a serem desenvolvidas em igrejas ou individualmente (em inglês).

“Justiça e paz são preocupações-chave nas estratégias de incidência destes 16 Dias de Ativismo. É tempo de conscientizar as pessoas acerca da necessidade de uma mudança de paradigma que inverta a lógica de negação dos direitos às mulheres”, disse a Dra Fulata Lusungu Moyo, coordenadora do programa do CMI sobre Mulheres na Igreja e na Sociedade.

As preocupações expressas através da campanha, ela disse, tentam erradicar "uma cultural mundial na qual a violência contra as mulheres é tolerada".

Os 16 Dias de Ativismo enfocarão a violência doméstica contra mulheres, o sexismo em sistemas de divisão de castas, classes e raças, e o tráfico de pessoas, assim como inicitivas em prol de masculinidades transformadoras no que tange a abordagem do tema da violência contra as mulheres.

Ao abordar estes temas, o kit de recursos dedica atenção especial às perspectivas de gênero sobre vida, justiça, paz e reconciliação.

Através dos 16 Dias de Ativismo Moyo espera que os participantes sejam capazes de "promover políticas afirmativas e participar de ações proféticas, trazendo a aborsagem da fé à proclamação do pelo fim da violência contra as mulheres”.

Com os 16 Dias de Ativismo, o CMI também pretende explorar o tema de sua X Assembleia, "Deus da vida, conduze-nos à justiça e à paz". O evento acontecerá em Busan, República da Coreia, entre 30 de outubro e 8 de novembro de 2013.

Fonte: http://www.oikoumene.org/po/novidades/news-management/por/article/1634/16-dias-de-ativismo-para.html

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: ,

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: