Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Fateo / Notícias / Delegação do Conselho Mundial de Igrejas visita a Universidade Metodista e a FaTeo

Delegação do Conselho Mundial de Igrejas visita a Universidade Metodista e a FaTeo

20/06/2011 14h05

Liderada pelo secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), o luterano norueguês Rev. Olav Fikse Tveit, uma delegação composta pelo Moderador do Comitê Central do organismo, o luterano brasileiro Rev. Walter Altmann, pela Presidente do CMI pela América Latina e o Caribe, a presbiteriana cubana Ofélia Ortega e pelo assessor do Programa Justiça, Diaconia e Responsabilidade pela Criação, o ortodoxo argentino Elias Abramides, visitou a Universidade Metodista de São Paulo e a FaTeo na tarde da sexta, 17 de junho. Além de conhecer um pouco da vida das instituições por meio de uma visita a espaços significativos como o Edifício Ômega, a Policlínica da Faculdade de Saúde e o Centro de Memória Metodista, o grupo participou de um diálogo com membros da comunidade acadêmica e representantes da Igreja Metodista, em que houve apresentações de projetos alinhados com o princípio ecumênico da parte da Universidade, da FaTeo e de parceiros externos e uma exposição da delegação do CMI sobre temáticas importantes na conjuntura ecumênica.

reuniao CMI à FaTeo 17 junho 2011 CentroMemoria

Delegação do CMI em visita ao Centro de Memória Metodista, coordenado pelo Prof. Paulo Ayres

Participaram da primeira parte de apresentações o reitor da Universidade Prof. Márcio de Moraes, o reitor da FaTeo Prof. Paulo Roberto Garcia e a coordenadora do Projeto Meninos e Meninas de Rua de São Bernardo do Campo Néia Bueno Marianno. Nesse momento foram destacados os projetos da universidade voltados para a promoção da vida e da cidadania, como o Núcleo de Educação em Direitos Humanos, a Cátedra Gestão de Cidades, a Policlínica, o Núcleo de Formação Cidadã, o Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência. Pela FaTeo foi destacada a dimensão ecumênica da educação teológica identificada na própria diversidade de confissões que compõe o quadro de professores/as e estudantes, o Projeto Sol África – Solidariedade com a África em Educação Teológica, e as parcerias com projetos de promoção da vida, como o Projeto Meninos e Meninas de Rua de São Bernardo do Campo que teve tempo para expor seu histórico e suas ênfases de ação.

Na segunda parte do diálogo o Moderador do Comitê Central do CMI Walter Altmann apresentou os desafios para o organismo na conjuntura do movimento ecumênico presente, indicando as dificuldades em torno dos novos fundamentalismos que tornam grupos cristãos mais concorrentes e fechados, mas ao mesmo tempo celebrou o fato de o movimento ecumênico permanecer testemunhando ao mundo que a unidade cristã  é capaz de produzir frutos em nome do Evangelho e da Vida, e exemplificou com a experiência recentemente vivida com a entrega dos documentos do Projeto Brasil Nunca Mais ao Ministério Público Federal (CLIQUE AQUI PARA LER A REPORTAGEM).

O secretário-geral do CMI Olav Fikse Tveit apresentou três ênfases para a ação ecumênica no momento presente: uma educação teológica que enfatize a unidade cristã e a dimensão ecumênica tanto nos currículos como na composição e na convivência entre corpo docente e discente; a necessidade de as diferentes confissões cristãs conhecerem-se umas às outras e aí também foi indicado que a educação teológica pode desempenhar papel significativo; a necessidade de cristãos de diferentes tradições trabalharem juntos em confiança e responsabilidade mútua. Para Tveit o movimento ecumênico tem que se basear na confiança e é a confiança em Deus  que nos leva a confiar uns nos outros. Esta é a única maneira de construir relações significativas. Para ele, em muitos casos é justamente a confiança que está faltando; impera inclusive uma clara competição e se destrói deliberadamente a confiança. Daí as crises nas relações entre os cristãos que comprometem a unidade. A educação teológica também tem que ser fonte para esta construção de relações que se baseiem na confiança e na responsabilidade mútuas. Ofélia Ortega e Elias Abramides apresentaram as ênfases de seu trabalho no CMI, respectivamente, o projeto Educação Teológica Ecumênica e o projeto sobre Mudanças Climáticas. (CLIQUE AQUI para saber mais sobre os programas do CMI).

Depois de ouvir as apresentações os participantes do diálogo puderam levantar questões e observações. Entre eles estavam professores/as e estudantes da FaTeo; pela Universidade, os diretores das Faculdades de Administração e Economia e de Humanidades e Direito, Luiz Silvério Silva e Claudio Ribeiro e a coordenadora do Núcleo de Educação em Direitos Humanos Roseli Fishmann; pela Igreja Metodista, o Revmo Bispo Stanley Moraes, representando o Colégio Episcopal,  e a Secretária Nacional de Vida e Missão Revda. Joana D’Arc Meirelles. O momento foi também abrilhantado por uma apresentação musical liderada pela profa. Liséte Espíndola acompanhada de um grupo de estudantes da FaTeo com hinos de Charles Wesley em versão e ritmos brasileiros.

reuniao CMI à Fateo em 17/06/2011

 Da esquerda para a direita: Prof. Magali Cunha, coordenadora do Programa de Relações Institucionais da FaTeo; Rev. Olav Fikse Tveit, secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas; Prof. Paulo Garcia, reitor da FaTeo; Prof. Márcio de Moraes, reitor da Umesp; Rev. Walter Altmann, Moderador do Comitê Central do CMI e Bispo Stanley Moraes, secretário do Colégio Episcopal da Igreja Metodista.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre:

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: