Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Extensão / Notícias / Projeto Canudos lança campanha no site Vakinha para arrecadar fundos

Projeto Canudos lança campanha no site Vakinha para arrecadar fundos

Programa de extensão da Metodista tem custo estimado de até R$ 40 mil

11/05/2016 21h30 - última modificação 19/04/2017 19h56

Com extensa agenda de serviços assistenciais e de educação oferecidos há cinco anos aos moradores de Canudos Velho, no sertão baiano, a Universidade Metodista de São Paulo não quer deixar passar em branco a caravana de 2016. Por isso, o Projeto Canudos, que envolve o programa de extensão universitária dos alunos, lançou campanha no site coletivo Vakinha para arrecadar recursos.

“Qualquer contribuição é bem-vinda”, convida o diretor do projeto e professor do curso de Biomedicina, Victor Bigoli, que calcula entre R$ 35 mil a R$ 40 mil as necessidades para cobrir despesas de transporte, alimentação, hospedagem e taxas que serão pagas a um grupo de moradoras locais responsáveis pelo preparo da alimentação do grupo durante o período do projeto. A próxima viagem está programada para o período de recesso escolar, de 25 de junho a 8 de julho.   

A crise econômica do País afugentou apoiadores e patrocinadores, daí a ideia de uma “vaquinha” comunitária. Qualquer pessoa ou empresa pode contribuir. Veja aqui

“Este ano queremos retomar tudo aquilo que fizemos até 2014, ou seja, fretar um ônibus com 46 lugares para acomodar os alunos voluntários da Metodista e de instituições parceiras. O ônibus sairá do Campus Planalto e nos levará até Canudos Velho. São dois dias de viagem. Sem contar com a mais nova parceria institucional, a Faculdade Santo Agostinho, do Piauí. Eles encaminharão (de ônibus) um grupo de seis alunos e dois professores, que partirão de Teresina direto a Canudos”, conta professor Bigoli. Do Grande ABC, uma parceira tradicional do projeto é a Faculdade de Medicina do ABC.

Canudos1.JPG
Atendimentos incluem consulta médica, orientação nutricional, odontologia, fisioterapia e gastronomia, entre outros
       


Festa de Natal

Esta é a primeira vez que se utiliza um site coletivo para angariar fundos. Ação semelhante está sendo planejada para outras iniciativas, como a campanha de Natal em Canudos que a Metodista realiza desde 2012 àquela comunidade pobre e em grande parte desassistida de serviços públicos. No vilarejo de Canudos Velho não há saneamento básico, rede de tratamento de esgoto e água canalizada. Não há coleta de lixo. “Em visita precursora em 2011, constatamos a dificuldade em obter atendimento médico na comunidade de Canudos Velho. São longos 30 quilômetros de distância entre a comunidade sertaneja e o grande centro de Canudos Novo. Não há Programa de Saúde da Família e sequer um posto de saúde do município”, descreve professor Victor Bigoli.

Conheça mais no site e na página do facebook.

O Projeto Canudos realiza diversas ações voluntárias com objetivo de melhorar a qualidade de vida e diminuir as diferenças sociais dessa comunidade. São atendimentos de saúde, educação, direitos humanos e justiça, geração de renda e tecnologia, cultura e comunicação. O arraial de Canudos, construído pelo lendário Antônio Conselheiro, recebe os alunos trimestralmente, com duas visitas precursoras às ações (abril e outubro) e as operações que ocorrem em meses de férias (janeiro e julho). A Metodista organiza equipes multidisciplinares para execução das ações, reunindo alunos e professores das áreas de biológicas e saúde, educação, exatas, gestão ambiental, tecnologia, humanas e comunicação.

História

A Guerra de Canudos foi o confronto entre Exército Brasileiro e integrantes de um movimento popular de fundo religioso liderado por Antônio Conselheiro, que durou de 1896 a 1897 na comunidade de Canudos, no interior da Bahia. A região, historicamente caracterizada por latifúndios improdutivos, secas e desemprego crônico, passava por grave crise econômica e social. Milhares de sertanejos e ex-escravos partiram para Canudos, cidadela liderada pelo peregrino Antônio Conselheiro, unidos na crença numa salvação milagrosa que pouparia os humildes habitantes do sertão dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social.

O Instituto Brasil Solidário iniciou em dezembro de 2008 o projeto Vila Canudos, envolvendo o município de Canudos e o distrito rural Canudos Velho, no sertão da Bahia. Trata-se de uma base fixa construída com alojamento e preparada para acomodar até 10 pessoas com toda infraestrutura, além de consultório odontológico completo, salão para palestras, farmácia e consultório médico integrado. Na área externa, o IBS mantém uma vila agrícola de 1.200 m2 com princípios sustentáveis e orgânicos, com oito canteiros para cultivo de verduras e legumes, viveiro de mudas e 16 canteiros de frutas, além de plantas medicinais.

Em 2007, o IBS entregou à comunidade, ainda, uma biblioteca completa e equipada com computadores e recentemente acesso à internet. O primeiro contato da Metodista com o Instituto Brasil Solidário foi realizado em outubro de 2010 e a partir de 2011 se sucederam as visitas para ações na área de saúde, educação e meio ambiente.

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , , ,
SOBRE A COORDENAÇÃO