Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Escola de Engenharias, Tecnologia e Informação / Notícias / Problemas urbanos podem ser reduzidos com tecnologia, diz palestrante do Seminário EETI

Problemas urbanos podem ser reduzidos com tecnologia, diz palestrante do Seminário EETI

Internet das Coisas (IoT) apresenta inúmeros recursos para a vivência urbana

17/05/2018 12h20 - última modificação 18/06/2018 20h56

84,3% dos brasileiros ocupam hoje 0,63% do território nacional. Até 2025, 85% da população da América Latina habitará em cidades. Mais de 70% dos habitantes da terra se concentrarão em áreas urbanas em 2050. O que essas três estatísticas têm em comum, além de indicarem a tendência da aglomeração de pessoas em espaços pequenos?

Indiretamente, os três dados apontam para a intensificação dos problemas urbanos já vivenciados há algumas décadas em grandes metrópoles. Para apresentar soluções a esses movimentos, na manhã de ontem (16) o Seminário EETI 2018 recebeu Nelson Gonçalves de Oliveira, sócio-fundador da Grande Porte Treinamentos em Informática, que ministrou a palestra “Smart Cities: a Internet das Coisas aplicada a uma sociedade inteligente e sustentável”.


Tecnologia como solução

Nelson apontou a tecnologia como um dos principais recursos para prevenir e atenuar adversidades dos ambientes urbanos, a exemplo do excesso de trânsito, esgotamento de recursos naturais e violência. “É nas cidades que estão os serviços e toda a infraestrutura que precisamos. Mas as cidades têm muitos problemas. E qual é a solução? Tornar as cidades inteligentes. Colocar mais equipamentos, sensores e gerar dados que nos ajudem a viver melhor”, indicou.

O palestrante também apontou a tendência natural de fusão entre o mundo físico e o digital, por meio de dispositivos que se comunicam e são capazes de coletar e transmitir dados. Essa rede de objetos conectados é conhecida como Internet das Coisas (IoT).

Sistemas de segurança conectados a dispositivos eletrônicos, sensores de presença que acendem lâmpadas, ligam eletrodomésticos e abrem cortinas em horários pré-determinados são alguns dos recursos mais conhecidos nesse meio, geralmente voltado ao contexto doméstico. O desafio agora é expandir esses recursos para a vivência das cidades.

Ao longo da palestra foram apresentados diversos exemplos de aplicação da IoT, alguns já utilizados em São Paulo, como aplicativos colaborativos que monitoram o trânsito e pontos de violência. "Não tem como fugir: é o futuro. Precisamos pensar na computação na cidade. Já começamos a ver pontos de ônibus inteligentes, iluminação inteligente e até tentativas de projetos para montar smart cities", disse o palestrante.

 

Confira algumas fotos da palestra:

Palestra: Smart Cities

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , ,
PÓS-GRADUAÇÃO
X