Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / ENADE / 2014 / Questões / Questão de Terrorismo e Direitos Humanos

Questão de Terrorismo e Direitos Humanos

Questão

1) As ações terroristas cada vez mais se propagam pelo mundo, havendo ataques em
várias cidades, em todos os continentes. Nesse contexto, analise a seguinte notícia:
No dia 10 de março de 2005, o Presidente de Governo da Espanha José Luis Rodriguez Zapatero em conferência sobre o terrorismo, ocorrida em Madri para lembrar os atentados do dia 11 de março de 2004, “assinalou que os espanhóis encheram as ruas em sinal de dor e solidariedade e dois dias depois encheram as urnas, mostrando assim o único caminho para derrotar o terrorismo: a democracia.
Também proclamou que não existe álibi para o assassinato indiscriminado. Zapatero afirmou que não há política, nem ideologia, resistência ou luta no terror, só há o vazio da futilidade, a infâmia e a barbárie. Também defendeu a comunidade islâmica, lembrando que não se deve vincular esse fenômeno com nenhuma civilização, cultura ou religião. Por esse motivo apostou na criação pelas Nações Unidas de uma aliança de civilizações para que não se continue ignorando a pobreza extrema, a exclusão social ou os Estados falidos, que constituem, segundo ele, um terreno fértil para o terrorismo”.

(MANCEBO, Isabel. Madri fecha conferência sobre terrorismo e relembra os mortos de 11-M. (Adaptado).

Disponível em: http://www2.rnw.nl/rnw/pt/atualidade/europa/at0

A principal razão, indicada pelo governante espanhol, para que haja tais iniciativas do terror está explicitada na seguinte afirmação:  





2)
Levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo em 11 de abril de 2009, com base nos dados de 2008, revela que o índice de homicídios por 100 mil habitantes
no Brasil varia de 10,6 a 66,2. O levantamento inclui dados de 23 estados e do
Distrito Federal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), áreas
com índices superiores a 10 assassinatos por 100 mil habitantes são considerados
zonas epidêmicas de homicídios. Análise da mortalidade por homicídios no Brasil.

Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u549196.shtml>
Acesso em: 22 ago. 2010.

A partir das informações do texto e do gráfico acima, conclui-se que










3) Sobre o papel desempenhado pela mídia nas sociedades de regime democrático, há
várias tendências de avaliação com posições distintas. Vejamos duas delas:

Posição I – A mídia é encarada como um mecanismo em que grupos ou classes
dominantes são capazes de difundir idéias que promovem seus próprios interesses e
que servem, assim, para manter o status quo. Desta forma, os contornos ideológicos
da ordem hegemônica são fixados, e se reduzem os espaços de circulação de ideias
alternativas e contestadoras.

Posição II – A mídia vem cumprindo seu papel de guardiã da ética, protetora do
decoro e do Estado de Direito. Assim, os órgãos midiáticos vêm prestando um grande
serviço às sociedades, com neutralidade ideológica, com fidelidade à verdade factual,
com espírito crítico e com fiscalização do poder onde quer que ele se manifeste.
Leia o texto a seguir, sobre o papel da mídia nas sociedades democráticas da
atualidade - exemplo do jornalismo.
“Quando os jornalistas são questionados, eles respondem de fato: ‘nenhuma pressão
é feita sobre mim, escrevo o que quero’. E isso é verdade. Apenas deveríamos
acrescentar que, se eles assumissem posições contrárias às normas dominantes, não
escreveriam mais seus editoriais. Não se trata de uma regra absoluta, é claro. Eu
mesmo sou publicado na mídia norte-americana. Os Estados Unidos não são um país
totalitário. (...) Com certo exagero, nos países totalitários, o Estado decide a linha a ser
seguida e todos devem-se conformar. As sociedades democráticas funcionam de outra
forma: a linha jamais é anunciada como tal; ela é subliminar. Realizamos, de certa
forma, uma “lavagem cerebral em liberdade”. Na grande mídia, mesmo os debates
mais apaixonados se situam na esfera dos parâmetros implicitamente consentidos – o
que mantém na marginalidade muitos pontos de vista contrários.”
Revista Le Monde Diplomatique Brasil, ago. 2007 - texto de entrevista com Noam Chomsky.
Sobre o papel desempenhado pela mídia na atualidade, faça, em no máximo, 6 linhas,
o que se pede: