Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Não enfeitar o currículo nem falar alto no trabalho são regras da boa etiqueta empresarial

Não enfeitar o currículo nem falar alto no trabalho são regras da boa etiqueta empresarial

Palestra anuncia curso de curta duração que a Metodista fará sobre “Etiqueta Corporativa”

03/09/2018 19h45 - última modificação 03/09/2018 20h21

Prof. Ana Maria: até o uso de copos segue referências

Quando chegar a um evento acompanhado de mulher, ela deve entrar primeiro. Se for apresentar-se, basta um aperto de mãos; esqueça os beijinhos. Caso seja almoço de negócios, jamais pique a refeição; corte o alimento conforme for comendo. E se enviar currículo, seja objetivo ao expor competências e não minta colocando habilidades que não domina. Email profissional? Abomine endereços como borboletinha@ ou façobicos.com.

Identificou-se com situações como essas? Corra então para conhecer algumas regras básicas de convivência e postura no ambiente corporativo. Depois do fraco desempenho no trabalho (34%), problemas de comportamento são a 2ª maior causa (26%) de demissões no Brasil, conforme estudo da consultoria Robert Half.

“Quem quiser ser bem-sucedido deve estar bem preparado para as mais diversas situações de convívio social”, afirma professora Ana Maria Martins, que na noite de 30 de agosto último fez palestra sobre “Etiqueta Corporativa” na série Metodista XP. Ela mostrou que empresas de todos os níveis estão preocupadas com a imagem da equipe, sobretudo gerências e vendedores. Para projetar adequadamente a própria imagem da corporação no mercado, tem crescido a edição de Códigos de Ética ou Guias de Conduta Profissional como referências de postura no ambiente de trabalho.

Há muitas armadilhas que levam profissionais a dar vexame, muitos sem saber que estão errando. Desde falar demais roubando a atenção num debate, encher a mesa de papéis e porta-retratos ou ficar “grudado” no celular e redes sociais enquanto trabalha até vestir camiseta esportiva numa reunião com visitantes ou mascar chicletes e palitar dentes em almoço com clientes – tudo conspira contra a manutenção de um emprego.

“A lógica da etiqueta é o respeito ao próximo, pois a convivência social é um espaço compartilhado”, define professora Ana Maria, coordenadora do curso de Secretariado Executivo e da pós-graduação em Assessoria Executiva e Gestão de Eventos, além de autora dos livros "Postura Profissional do Educador" e "Etiqueta Infantil" e co-autora de "Excelência em Secretariado”.

Curso de curta duração

A Universidade Metodista de São Paulo prepara para este 2º semestre curso de curta duração sobre “Etiqueta Corporativa” a ser conduzido pela professora Ana Maria. Segundo ela, muitos recém-formados e até veteranos na profissão desconhecem as posturas adequadas no mundo corporativo porque poucas escolas adotam módulos de comportamento social no currículo acadêmico.

“Diferenciais importantes no momento de ser recrutado são a postura e a facilidade de comunicação. A boa apresentação tanto no que se refere a atitudes quanto ao modo de se vestir, sem modismos, tem que ser balanceada entre o bom gosto e o bom senso”, afirmou a palestrante, que mostrou também a boa postura à mesa e alertou para a necessidade do controle emocional.

Professora Ana Maria citou a pontualidade como ponto de honra no ambiente empresarial, não apenas em relação ao horário de entrada, saída ou de almoço, mas sobretudo nos compromissos assumidos. “Caso perceba que não vai conseguir cumprir o horário, telefone informando sobre o atraso”, aconselhou. Simpatia e cordialidade também ajudam na apresentação pessoal, bem como pedir licença ao entrar em um local e cumprimentar todas as pessoas.

Veja imagens do encontro:

Metodista XP, palestra sobre "Etiqueta Corporativa, 30 de agosto,

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , , , , , , , ,