Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Ciências Econômicas / Notícias / Eleição e contas públicas baixam confiança da indústria do Grande ABC no 3º trimestre

Eleição e contas públicas baixam confiança da indústria do Grande ABC no 3º trimestre

10º IndústriABC é um recorte de pesquisa da CNI-Fiesp. ICEI havia atingido 65,6 pontos em janeiro

29/11/2018 11h55 - última modificação 03/12/2018 18h50

Foto pixabay.com

O Índice de Confiança da Indústria (ICEI) do Grande ABC baixou para 51,7 pontos em setembro último, contra 61,5 de um ano atrás. O ICEI regional reduziu-se durante todo o decorrer de 2018, já que em janeiro havia alcançado 65,6 pontos, uma das melhores marcas desde o início de sua apuração no ABC paulista, em março de 2016. Entre as principais causas da baixa está a redução da expectativa quanto ao desempenho da economia brasileira em 2018, influenciada pelo cenário político-eleitoral e pela dificuldade de o governo melhorar as contas públicas.

No Brasil, o ICI caiu para 53,7 pontos e em São Paulo para 50,8 em setembro, considerando como parâmetros as avaliações de 0 a 50 (pessimista), 50 (neutra) e de 50 a 100 (otimista). As maiores baixas no humor do empresário industrial no trimestre jul-ago-set foram observadas na confiança em relação às condições da economia (38,3 pontos no Grande ABC e 42,2 no Brasil) e às expectativas da economia brasileira (53,6 na região e 54,1 no Brasil). Isso se refletiu sobre as avaliações em torno das condições e das expectativas quanto à empresa pesquisada (45 e 57,1 respectivamente no ABC).

A Sondagem Industrial (SI) e o Índice de Confiança (ICEI) são elaborados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Um recorte regional é feito a cada trimestre pela Universidade Metodista de São Paulo, por meio do Observatório Econômico, resultando no Boletim IndústriABC, que chega à 10ª edição.

O Índice de Confiança reduziu-se mesmo com 2018 mostrando-se relativamente melhor do que 2015 e 2016, anos mais agudos da recente recessão. O setor automobilístico – âncora da economia do Grande ABC – cresceu 14,9% de janeiro a setembro deste ano, puxando a indústria brasileira em geral, cuja produção aumentou 1,9% no período. Mas a greve dos caminhoneiros e a eleição presidencial influenciaram a atividade econômica em maio e setembro, com o ICI no Brasil invadindo o campo do pessimismo nesses dois meses (41,6 pontos e 47,2 pontos respectivamente).

No Grande ABC, porém, o volume de produção decresceu em seis dos nove meses entre janeiro-setembro, chegando à escala de apenas 40 pontos em setembro último. A utilização da capacidade instalada chegou a 65% no ABC ao final do 3º trimestre, para 69% em São Paulo e 67% no Brasil.

Investimentos

Após breve período de retomada entre outubro de 2017 e maio de 2018, a intenção de investimentos pelo setor industrial no Brasil continuou a apontar para leve redução no 3º trimestre do ano, mas mantendo-se na faixa de 50 pontos. O ABC mais uma vez destoou. A Sondagem Industrial registrou retração de 60 pontos em maio deste ano para 48,2 em setembro na disposição de o industrial regional fazer investimentos.

“Esse movimento de redução está amarrado à queda na expectativa de crescimento da economia brasileira nos últimos meses, frustrando prognósticos relativos ao ritmo de retomada da atividade”, afirma professor Sandro Maskio, coordenador de estudos do Observatório Econômico da Metodista, apontando o próprio relatório FOCUS de 16 de novembro último, segundo o qual a economia brasileira deverá expandir apenas 1,36% em 2018, contra projeção anterior de 2,7%.

“A aposta é que o cenário melhore entre os últimos meses deste ano e em especial no primeiro semestre de 2019, sob expectativa de redução das incertezas do processo eleitoral e a recém-aprovada Rota 2030 para o setor automotivo”, afirma, referindo-se ao programa de incentivos às montadoras que investirem em tecnologia. Ele adverte, porém, que o ICEI só vai melhorar em 2019 caso o novo governo mostre capacidade de realizar reformas que recuperem o cenário das contas públicas, além de adotar mecanismos que tornem o ambiente de negócios mais favorável ao setor produtivo.

Veja a íntegra do 10º IndústriABC.

Acompanhe a divulgação na mídia:

Diário do Grande ABC - Nível de confiança da indústria cai na região
Diário Regional - Eleições e lenta retomada da economia derrubam confiança do industrial do ABC
Repórter Diário - Eleição e contas públicas baixam confiança da indústria do ABC
Folha do ABC - Eleição e contas públicas baixam confiança da indústria do ABC
ABC do ABC - Eleição e contas públicas baixam confiança da indústria do ABC no 3º trimestre

Esta matéria foi publicada no Jornal da Metodista.
Conheça Outras.

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , , ,

SILVIA OKABAYASHI - COORDENADORA

silvia.jpg

Veja o minicurrículo


 

Receba informações de oferecimento sobre esse curso:

X