Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Biomedicina / Notícias / Curso de Biomedicina sempre atento às inovações, aponta o coordenador na Semana Acadêmica 2017

Curso de Biomedicina sempre atento às inovações, aponta o coordenador na Semana Acadêmica 2017

Com 17 anos de atividades, graduação da Metodista foi além de currículo focado em análises clínicas

22/08/2017 17h25 - última modificação 27/10/2017 17h50

Prof.Isaltino diz que grade curricular foi além das análises clínicas

Um curso que, além de não ficar retido no tempo, procura dar passos mais largos do que em outras escolas para estar sempre atualizado com o que o mercado demanda do biomédico qualificado. Assim definiu o coordenador do curso de Biomedicina da Universidade Metodista de São Paulo, professor Isaltino Conceição, ao abrir a XVII Semana Acadêmica de Biomedicina e falar sobre a profissão. Esse vigor ele exemplificou com o novo currículo modular, que teve todas as ementas reescritas e colocou total ênfase no conteúdo prático. O estágio, por exemplo, possibilita ao aluno vivenciar desde o 1º semestre a rotina do biomédico.

“Sempre fazemos mudanças com dinamismo e qualidade, ouvindo o que os alunos nos trazem. Estamos pensando agora na introdução de áreas como biomedicina estética e acupuntura”, citou ele, ao enfatizar que a força do curso da Metodista está em não restringir o currículo às análises clínicas, como a maioria.

Professor Isaltino mostrou que desde a criação, em 2000, a graduação estendeu-se por várias habilidades (são hoje 36 especialidades na profissão), inclusive em frentes inovadoras como reprodução assistida e microalimentos. Desde 2009 outra ênfase tem sido a iniciação científica, com introdução do Comitê de Ética em Pesquisa e Núcleo de Neurociência.

“O reconhecimento do curso em 2003 veio com conceito muito bom do MEC (nota 4) e em 2008 começamos a ser estrelados”, citou o coordenador, apontando as 4 estrelas conquistadas pelo Guia do Estudante, além do título de 8º melhor curso entre as universidades privadas do Estado de São Paulo pelo Ranking Universitário da Folha de S.Paulo.

A Semana de Biomedicina é realizada desde o primeiro ano e nesta 17ª edição, de 21 a 25 de agosto, traz extensa programação. Além de minicursos no período da tarde, todas as noites haverá palestras. Na noite de abertura seguiram-se palestras sobre “CRBM e ABBM (Conselho Regional de Biomedicina e Associação Brasileira de Biomedicina”, com professor Marco Zonta, e “Marketing e Biomedicina”, com Patrícia Brunieri. Na terça-feira, ex-alunos confraternizaram e trocaram experiências com turmas atuais.

As boas vindas na abertura ficaram a cargo do Centro Acadêmico e seu presidente, Lucas Baessa, que mais uma vez lançou concurso para premiar as duas melhores fotografias do evento postadas no Facebook ou Instagram. O momento devocional foi realizado pelo reverendo Hércules Andrade de Araújo, que citou provérbio de Salomão sobre relacionamentos. Alegres ou tristes, os relacionamentos são importantes à vida do ser humano, sob pena de acabar-se melancólico e isolado. “Abençoe sempre o outro, e você será abençoado”, incentivou.

Carreira atual

Membro do Conselho Regional de Biomedicina em várias frentes, entre as quais no Comitê de Ética, o professor da Metodista Marco Zonta discorreu sobre os papeis do CRBM e da ABBM, o primeiro responsável por regularizar e fiscalizar as atividades da profissão e a segunda voltada à qualificação, com promoção de semana de estudos, congressos e cursos. Explicou que a lei que regulamenta a Biomedicina data de 1979 (em conjunto com Biologia), mas ganhou carreira solo em 1982.

“É uma carreira recente, por isso incorpora sempre novas vertentes da área da saúde”, falou, citando que é possível ao biomédico graduar-se com até 2 das 36 habilitações. O campo de atuação vai da docência à biologia molecular, medicina nuclear, biotecnologia, reprodução humana, análise ambiental, perícia criminal, análises clínicas e pesquisas científicas, entre outros, como resumiu sua palestra com o título “Profissão do Presente”.

Professor Zonta também comentou sobre o campo de mercado em aberto sobretudo no Centro-Oeste, Norte e Nordeste, já que o Sudeste concentra hoje 57% dos 402 cursos e 40 mil dos 60 mil formados. “Mas a 150 quilômetros da Capital de São Paulo já faltam profissionais”, incentivou.

Veja imagens da abertura da Semana de Biomedicina de 2017:

 

17ª Semana de Biomedicina Metodista

Comunicar erros


Leia mais notícias sobre: , , , , , ,

ISALTINO CONCEIÇÃO - COORDENADOR
isaltino-conceicao.jpg
Veja o minicurrículo

 


 biomedicina.jpg

Receba informações de oferecimento sobre esse curso: